Delegação dos EUA efetua visita de trabalho à Crimeia apesar de tudo

© Sputnik / Artem Kreminsky / Abrir o banco de imagensCrimeia
Crimeia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Uma delegação dos EUA encabeçada pela presidente e fundadora do Centro de Iniciativas de Cidadãos Sharon Tennison chegou à Crimeia em visita de negócios.

A delegação incluia também cerca de 10 figuras públicas, antigos funcionários e professores.

General view of the plenary room of the Council of Europe in Strasbourg, eastern France - Sputnik Brasil
UE prolonga sanções contra Crimeia por mais um ano
O primeiro evento oficial foi a reunião da delegação com o presidente do Conselho Municipal de Simferopol, Viktor Ageev, e o chefe da administração local Gennady Baharev.

"Permitam-me destacar em primeiro lugar a vossa coragem. Percebemos como é importante o funcionamento de iniciativas de cidadãos nas condições atuais. Espero que vocês verifiquem que o povo da Crimeia está unido, apesar da religião e da pertença a qualquer nação, e está criando uma Crimeia nova", disse Baharev durante a reunião.

Valentina Matvienko - Sputnik Brasil
Matvienko: permanência da Crimeia na Rússia é assunto encerrado
Segundo ele, as autoridades da Crimeia estão prontas e abertas para o diálogo com delegações estrangeiras.

Sharon Tennison, por sua vez, agradeceu às autoridades da Crimeia a calorosa acolhida. “Estou muito lisonjeada com este encontro. Devo reconhecer que esta é a melhor delegação de todas que poderia ter trazido comigo. São mulheres e homens que ocuparam altos postos no governo norte-americano. Estamos todos aqui porque queremos desenvolver boas relações entre os nossos países. Aproveitamos todas nossas possibilidades e votos para divulgar o que está acontecendo na verdade aqui na Crimeia, porque fomos nós que a visitamos “, disse Tennision.

Uma antiga funcionária do departamento do Estado dos EUA, a coronel na reserva Ann Wright, classificou as sanções ocidentais contra a Crimeia como injustas e desumanas.

A Crimeia voltou a ser parte da Rússia após celebrar em março de 2014 um referendo em que a maioria esmagadora dos eleitores, mais de 96 por cento, atestaram esta opção.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала