Japoneses protestam contra bases militares americanas

© AFP 2022 / TORU YAMANAKAJaponeses protestam contra presença militar americana em Okinawa, 19 de junho
Japoneses protestam contra presença militar americana em Okinawa, 19 de junho - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Milhares de japoneses se reuniram na ilha de Okinawa para participar de um protesto contra os EUA. O protesto é considerado um dos maiores nos últimos 20 anos, informa a agência Reuters.

"Os protestos marcam o ponto mais baixo nas relações entre os EUA e o Japão no que diz respeito a Okinawa, e colocam em risco os planos dos EUA de mover sua base para outra parte da ilha", diz o artigo.

"Todas as bases dos EUA no Japão devem ser fechadas. Eu quero Abe ouça o que o povo de Okinawa está dizendo", disse Ryoko Shimabukuro, um funcionário público de 28 anos que participa do protesto.

© AFP 2022 / TORU YAMANAKAMulher japonesa durante manifestação, 19 de junho
Mulher japonesa durante manifestação, 19 de junho - Sputnik Brasil
Mulher japonesa durante manifestação, 19 de junho

Segundo a publicação, a última vez que os japoneses de Okinawa foram a manifestações em tão larga escala foi vinte anos atrás, depois de três militares dos EUA tinham sequestrado e estuprado uma menina japonesa de 12 anos. Como resultado da manifestação, os EUA e o Japão concordaram em 1996 em transferir a base militar de Futenma, localizada num bairro densamente povoado de Okinawa, para outra parte da ilha. Entretanto, esse plano acabou por não ser realizado.

No entanto, as manifestações contra as bases militares norte-americanas ocorrem em Okinawa constantemente.

Aviões e helicópteros na Estação Aérea da Unidade Naval de Futenma, Ginowan, província de Okinawa - Sputnik Brasil
Japoneses votam contra a presença militar dos EUA em Okinawa
Neste ano, a ilha já assistiu a dois grandes incidentes com participação de militares norte-americanos. Assim, no final de maio, a polícia japonesa deteve o americano Kenneth Franklin, de 32 anos de idade, por suspeita de assassinato de uma japonesa de 20 anos, cujo corpo foi encontrado na floresta.

Depois disso, uma oficial da Marinha norte-americana provocou um acidente por dirigir embriagada. Ela foi presa e os americanos introduziram na ilha a "lei seca" para os seus militares que, segundo as últimas informações da mídia, foi "parcialmente aliviada" depois de apenas 11 dias após sua introdução.

Em Okinawa, hoje em dia estão baseados 50 mil militares norte-americanos, dos quais 30 mil estão em bases militares. Os EUA ocuparam esta ilha até 1972, agora uma quinta parte da ilha permanece sob controle do exército americano.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала