- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Especialista considera legítima representação de Lula contra Sérgio Moro

ENTREVISTA COM MICHAEL MOHALEN 2 DE 17-06-16
Nos siga noTelegram
Advogados do ex-Presidente Lula encaminharam ao procurador-geral da República, Rodrigo Janot, representação contra o Juiz Sérgio Moro, titular da 13.ª Vara Federal Criminal de Curitiba. Alegam que o juiz está coagindo seu cliente, determinando quebra do sigilo telefônico e condução coercitiva para ele depor na Polícia Federal.

Para o advogado Michael Mohallem, professor de Direito Constitucional, especialista em Direitos Humanos e coordenador do Centro de Justiça e Sociedade da Fundação Getúlio Vargas no Rio de Janeiro, “do ponto de vista do ex-Presidente Lula parece uma atitude perfeitamente normal por parte dos seus advogados. A representação dos advogados de Lula contra Sérgio Moro ocorre pouco depois de o Ministro Teori Zavascki, do Supremo Tribunal Federal, anular, como prova, a interceptação telefônica de um diálogo entre o ex-presidente e a presidente agora afastada Dilma Rousseff, pelo fato de tal escuta não ter sido autorizada pela competente instância legal, no caso, o Supremo Tribunal Federal, já que essa interceptação telefônica ocorreu com a presidente da República, que detém prerrogativa de foro”.

Lula, ex-presidente do Brasil - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
STF retorna investigações sobre Lula para Moro, mas anula grampos de Dilma

Em relação às denúncias de violação de direitos humanos de Lula, Michael Mohallem observou:

“Há bons indícios de que esta violação possa ter ocorrido, especialmente no que diz respeito à determinação do uso de condução coercitiva aplicada ao ex-Presidente Lula, para que ele fosse depor na Polícia Federal em São Paulo. As leis brasileiras determinam que a condução coercitiva só seja aplicada quando a pessoa investigada se recusa a comparecer para depor. Ora, este não foi o caso de Lula, que reiteradas vezes declarou que bastaria um chamado da Polícia Federal e ele compareceria à repartição policial sem qualquer problema ou resistência.”

Outra questão destacada pelo Professor Mohallem é a da privacidade do ex-presidente:

“A Constituição brasileira de 1988 assegura pleno direito à privacidade de cada pessoa, e isto envolve o direito ao sigilo de suas comunicações. Elas só podem ser interceptadas por meio de autorização judicial com o devido fundamentado apresentado à Justiça pela autoridade investigatória. Então, é bastante plausível e aceitável que os advogados de Lula se preocupem com a violação da privacidade do seu cliente.”

Ex-presidente Lula, durante ato contra o golpe, na Avenida Paulista - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Lula: ‘Quanto mais me provocarem, mais corro risco de ser candidato à Presidência em 2018’

O Dr. Michael Mohallem conclui afirmando que, se forem constatados excessos ou abusos por parte do Juiz Sérgio Moro contra Lula, Moro estará sujeito a sanções:

“Se ficar comprovado que o juiz agiu de forma abusiva, ele poderá sofrer desde uma advertência até a decretação de sua aposentadoria, deixando de exercer a magistratura. Mas isto precisa ser plena e incontestemente comprovado para que o juiz não sofra nenhuma lesão a seus direitos.”

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала