A todo o custo: Noruega paga caro por neutralidade de carbono

© flickr.com / Ben AshmoleReine Blue Hour, Lofoten Islands, Norway
Reine Blue Hour, Lofoten Islands, Norway - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante décadas a Noruega permaneceu o maior produtor de petróleo na Europa Ocidental. Recentemente, Oslo se comprometeu a se tornar neutro em emissões de carbono nas duas décadas antes da data fixada, apesar do fato de este passo ousado poder custar bilhões de dólares para esse abastado país nórdico.

Anteriormente nesta semana, os legisladores endossaram o objetivo demasiado ambicioso da Noruega de se tornar neutro em carbono até 2030, duas décadas antes da data definida num acordo da ONU em dezembro de 2015. A resolução foi aprovada com pouca vantagem numérica apesar da oposição do governo minoritário conservador, escreveu o jornal norueguês Dagens Naringsliv.

Mapa mostrando a elevação do nível dos oceanos durante a COP 21 – Conferência sobre Mudanças Climáticas, realizada em Paris - Sputnik Brasil
Governo russo aprova assinatura do acordo sobre clima de Paris
A neutralidade climática não significa que a Noruega vai cessar liberar gases com efeito de estufa. Em vez disso, ela tenciona atingir o objetivo nobre de contribuições líquidas de zero nas emissões de carbono.

A Noruega, grande produtor do petróleo, terá de comprar as chamadas compensações de carbono no exterior. Os deslocamentos incluem investimentos em projetos ambientais que diminuem as emissões de carbono na atmosfera através da reflorestação, o aperfeiçoamento da eficiência energética ou a mudança para energias limpas.

Floresta Amazônica. - Sputnik Brasil
Estudo mostra que Floresta Amazônica está absorvendo menos carbono
Ironicamente, os esforços ambientais da Noruega se encontraram com a crítica devastadora do ministro do Clima e Ambiente, Vidar Helgesen, que numa carta ao parlamento estigmatizou a iniciativa como prematura e custosa, dizendo que o preço pode equivaler a $ 2,4 bilhões (R$ 8,32 bilhões) por ano em 2030.

Sendo o maior produtor do petróleo na Europa Ocidental, a Noruega é um indireto contribuinte proeminente de gases combustíveis. Atualmente, as emissões do país são mais altas do que no ano de 1990, quando mundialmente foram avaliados os esforços de reduzir emissões de gases com efeito de estufa. Em 2015, as emissões da Noruega cresceram em 1,5 por cento, depois do lançamento de um novo campo de petróleo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала