Relatório aponta para 'boom' no mercado mundial de armas

© Sputnik / Alexey MalgavkoExemplos de modernos sistemas de mira patentes na exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo
Exemplos de modernos sistemas de mira patentes na exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O relatório Global Defence Trade, preparado anualmente pela empresa IHS, revelou que o volume das vendas no mercado internacional de armas aumentou bruscamente no ano passado, em grande parte, graças à Arábia Saudita.

De acordo com a agência Bloomberg, o relatório mostra que o volume de importações de armas e equipamentos militares aumentou em 10%, chegando a 65 bilhões de dólares – 6,6 bilhões a mais do que em 2014.

Caça multifuncional russo Su-34 - Sputnik Brasil
Uma era dourada: armamento russo em demanda alta graças à Síria
Segundo dados da empresa Englewood, esse foi o maior aumento dos últimos dez anos. Além de Riad, as vendas de armamentos também tiveram uma alta significativa no Oriente Médio como um todo e no Sudeste Asiático.

Em 2015 a Arábia Saudita praticamente dobrou as suas encomendas de armamentos, aumentando seus gastos para 9,3 bilhões de dólares. O motivo disso, escreve Bloomberg, está no conflito com o Iêmen, onde Riade promove uma ampla operação militar contra os insurgentes Huthis, bem como nas crescentes tensões regionais com o Irã.

Os tanques de guerra russos T-90A durante o ensaio geral da Parada da Vitória na Praça Vermelha em Moscou, 7 de maio de 2016. - Sputnik Brasil
Rússia exportou armamentos para 58 países em 2015
De acordo com o relatório da IHS, em 2015, a Arábia Saudita comprou armamentos como caças Eurofighter Typhoon e F-15, helicópteros Apache, drones, equipamentos de observação e armas de precisão.

O segundo e terceiro lugares na lista de maiores compradores de armas do mundo ficaram com a Índia e a Austrália, respectivamente.

Além disso, o documento mostra que, com relação a 2013, países do Mar da China do Sul também aumentaram suas compras de armas em 71% para fazer à China na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала