Nunca é tarde para aprender: japonês nascido no século passado ainda quer estudar

© flickr.com / Alan Levine/CC BY 2.0Escolares dos estudantes da universidade no Japão
Escolares dos estudantes da universidade no Japão - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O japonês Sigemi Hirata, da cidade de Takamatsu (província de Kagawa), foi reconhecido o finalista da universidade mais idoso do mundo e já consta do Livro Guinness de Recordes.

“Estou feliz. Aprender é sempre uma felicidade na minha idade”, cita o jornal japonês Kiodo as palavras do finalista.

Alunos da escola 18, especializada em ciências exatas, discutem um problema de matemática (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Estudante russa vence Olimpíada Internacional de Matemática
Ele nasceu no dia 1 de setembro de 1919, tem agora 96 anos. Em 2005, quando tinha 85, tomou a decisão de aprender poesia e se matriculou na Universidade de Artes e Design de Kyoto.  Ele precisou de 11 anos para se licenciar.

“O meu objetivo seguinte é viver até aos 100 anos. Se me sentir bem nessa altura vou pensar sobre a continuação dos estudos e obtenção do grau de doutor”, acrescenta ele.

O japonês afirmou que a família constitui o segredo da sua boa disposição e longevidade. Ele tem dois filhos, dois netos e quatro bisnetos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала