Didi, o herói argelino esquecido dos ataques de Paris, é premiado com cidadania francesa

© REUTERS / Christian HartmannTrês sobreviventes se dão um abraço fora da sala de concertos Bataclan, onde tinha acontecido um ataque com fuzil automático
Três sobreviventes se dão um abraço fora da sala de concertos Bataclan, onde tinha acontecido um ataque com fuzil automático - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O homem argelino conhecido como o "herói esquecido" nos ataques terroristas do Daesh (autodenominado Estado Islâmico) na sala de concertos parisiense Bataclan, no ano passado, ganhou a cidadania francesa nesta sexta (27).

Durante o ataque ao local em 13 de novembro de 2015, o guarda de segurança argelino de 35 anos correu de volta para o Bataclan a fim de ajudar dezenas de pessoas a escapar do cenário de terror. Ele pediu para ser identificado publicamente apenas como Didi. 

Após a repercussão do fato, uma petição para dar a ela a cidadania francesa reuniu mais de 100.000 assinaturas, segundo relata a Newsweek. Seis meses depois, ministro do Interior da França, Bernard Cazeneuve, anunciou no Twitter: "felicitações calorosas a Didi", dando-lhe boas-vindas à nacionalidade francesa.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала