Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Rússia não se deixa intimidar pela presença dos EUA no Ártico

© Sputnik / Roman Denisov / Abrir o banco de imagensQuebra-gelo nuclear russo Ártico
Quebra-gelo nuclear russo Ártico - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Federação da Rússia não tem medo da intensificação da presença dos EUA, porque aqui se trata sobre a preservação da presença e não sobre a intensificação, disse à agência RIA Novosti vice-chefe da seção econômica da Embaixada da Rússia nos EUA Grigory Zasypkin.

Uma sessão do Fórum Econômico Internacional de São Petersburgo  (SPIEF), os representantes do setor de negócios, 2016 - Sputnik Brasil
Política das sanções não funciona: investidores mantêm interesse pela Rússia
“Tais receios [de intensificação da pressão dos EUA no Ártico] não existem. Parece que eles estão com receio e é por isso que eles estão nos acusando de militarização. Isto não tem razão, não existe nenhuma militarização. A Rússia está reestabelecendo o que tinha sido existido anteriormente. Todos os objetos que são restaurados têm não só o papel militar, mas civil também”, disse ele nas margens do fórum Doing Business with BRICS (Fazendo Negócio com os BRICS) em Washington.

“O que se refere aos norte-americanos, é que eles não têm a intenção de intensificar a presença, primeiro têm que construir pelo menos um novo quebra-gelo. Eles têm um quebra-gelo grande, mas é muito antigo. É que existe o problema da falta do equipamento neste país ártico. No caso de uma situação urgente eles não teriam meio de transporte nenhum. Além disso, o quebra-gelo não corresponde aos objetivos que devem ser cumpridos” acrescentou ele.

Obras de construção de quebra-gelo nuclear 'Arktika' nos estaleiros de São Petersburgo - Sputnik Brasil
Quebra-gelo russo Arktika se prepara a sair do estaleiro
Além disso, a missão diplomática acha pouco provável que Washington se dirija a Moscou com uma proposta de cooperação na construção de quebra-gelos de que os EUA precisam, apesar da experiência única da Rússia nesta área.

“Duvido muito que eles peçam a nossa ajuda na questão de tecnologias. É um assunto político. Existem outros países com experiência boa. Sem duvidas, a experiência que a Rússia tem é única. Ninguém se compara conosco na questão de construção de quebra-gelos. Mas como eu percebi, eles não têm a intenção de construção de um quebra-gelo nuclear. No que se refere aos quebra-gelos comuns, talvez eles consigam construí-los. Mas também podem pedir alguém. Acho que os finlandeses e os suecos constroem bem”, disse Zasypkin.

Fazemos lembrar que agora os EUA só têm dois quebra-gelos: um pesado, Polar Star, e um médio, Cutter Healy, construído em 2000. Presidente dos EUA propôs a construção de um quebra-gelo novo. O orçamento para o ano de 2017 prevê a atribuição de 150 milhões de dólares para o remate da projeção do quebra-gelo para que for possível começar a sua construção até 2020. O novo quebra-gelo pesado permite para os norte-americanos o acesso em qualquer estação do ano à região ártica.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала