Washington tem medo da aliança entre Rússia, Turquia e Irã

Nos siga noTelegram
Washington está tentando impedir qualquer tipo de aliança entre a Rússia, a Turquia e o Irã na Síria. Se os três países se unirem contra o terrorismo, os jihadistas serão facilmente derrotados e os EUA vão perder a possibilidade de desestabilizar a região, disse à agência Sputnik o ex-jornalista Hassan Hanizadeh.
© AP Photo / LUONG THAI LINHPresidente estadunidense, Barack Obama
Presidente estadunidense, Barack Obama - Sputnik Brasil
Presidente estadunidense, Barack Obama

“Os EUA estão tentando impedir qualquer possibilidade de aliança entre a Rússia, a Turquia e a Irã para lutar contra os terroristas na Síria”, afirmou Hassan Hanizadeh, o ex-editor chefe da agência de notícias iraniana MehrNews. 

General Joseph Votel, chefe do Comando Central dos EUA - Sputnik Brasil
Principal comandante dos EUA para o Oriente Médio faz viagem secreta à Síria
Entretanto, os EUA estão usando os grupos terroristas que operam na Síria como um instrumento para dividir o país em várias regiões. Assim, de acordo com o ex-jornalista, Washington está interessado na manutenção de relações tensas entre a Rússia e a Turquia, e em provocar tenções entre o Irã e a Turquia. 

Segundo Hanizadeh, Washington está tentando ampliar sua influência na região. Nas suas afirmações ele cita comentários do ex-chefe das Forças Armadas da Turquia, Ilker Basbug, que tem uma posição à primeira vista diferente da do atual governo do seu país. 

“Precisamos trabalhar junto com outros países para resolver o problema sírio. Não podemos lidar sozinhos. Temos que cooperar com o Irã e a Rússia, porque eles querem proteger a integridade territorial da Síria <…> A Turquia tem que revisar sua política na Síria urgentemente. É necessário que as relações entre a Rússia e a Turquia voltem a ser normais”, afirmou recentemente Ilker Basbug em Frankfurt em um simpósio organizado por organismos públicos turcos.

“O apelo de cooperação entre a Turquia, o Irã e a Rússia, pronunciado por uma alta figura do país, significa que aparentemente a Turquia está tentando mudar o curso da sua política na Síria e no Oriente Médio em geral”, acrescentou Hanizadeh.

Segundo o analista político, se a atual liderança do país ouvir as palavras do ex-chefe da Defesa, toda a região vai caminhar a passo a passo para a estabilidade, depois de cinco anos de guerra, que trouxe inúmeros desastres políticos, económicos e humanitários a todo o Oriente Médio.

Distrito de Saif al-Dawla, em Aleppo, Síria - Sputnik Brasil
Luta por Aleppo pode pôr fim ao desígnio imperial de Erdogan
Assim, a cooperação entre a Turquia, a Rússia e o Irã é crucial para a solução da crise síria e pode estabelecer uma base sólida para o combate contra os grupos terroristas como o Daesh, a Frente al-Nusra, o Jaysh al-Islam, e o Fatah al-Islamismo.

O Irã, a Rússia e a Turquia têm todo o potencial – diplomático e militar – para neutralizar os terroristas. No entanto, a diferença de posições sobre o futuro da Síria entre as principais autoridades militares na Turquia e o governo atual do país continua ser a pedra de tropeço para uma possível aliança.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала