Hamas pretende executar publicamente 13 pessoas na Faixa de Gaza

© AP Photo / Khalil HamraMilitantes do Hamas em Gaza
Militantes do Hamas em Gaza - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A organização palestina Hamas pretende organizar uma série de execuções públicas na Faixa de Gaza pela primeira vez desde 2014. A informação foi prestada por Ismail Jaber, procurador-geral do enclave palestino.

“A pena de morte será executada em breve em Gaza”, afirmou o procurador-geral os jornalistas no domingo, acrescentando que “espera que as execuções sejam realizadas em público”.

Segundo Khalili al-Haya, representante de Hamas, 13 pessoas,  condenadas à morte por e assassinatos e roubos, estão esperando a execução no país.

​No domingo, os familiares das vítimas dos condenados se reuniram em frente do Parlamento para pedir às autoridades palestinas acelerar as execuções.

“As familiares têm direito de pedir para acelerar as execuções”, disse o jornal Times of Israel.

A pena de morte não é algo novo na Faixa de Gaza que, segundo a lei palestina, pode ser aplicada aos colaboracionistas, assassinos, traficantes de drogas. No entanto, todas as decisões devem ser aprovadas pelo presidente do enclave, o palestino Mahmoud Abbas.

Israeli soldiers enter a tunnel discovered near the Israel Gaza border. - Sputnik Brasil
Israel ataca posições do Hamas na Faixa Gaza
A partir do ano 2007, quando o Hamas tomou o controle total da Faixa de Gaza, o grupo parou de pedir a aprovação de Abbas para executar pessoas.

No entanto, até agora o Hamas estava aplicando a pena de morte somente aos condenados por espionagem para Israel e parou as execuções em público. Uma exceção aconteceu durante o conflito israelo-palestino de 2014, quando militares do Hamas executaram 7 pessoas em frente da mesquita principal da cidade de Gaza depois das orações de sexta-feira. Os corpos dos executados foram arrastados pelas ruas da cidade.

O Centro Palestino de direitos humanos (PCHR, na sigla em inglês) informou que, em 2015, foram condenadas 9 pessoas à pena de morte. Este ano já foram condenadas 10 pessoas.

Desde a fundação da Autoridade Nacional Palestina em 1994, cerca de 170 pessoas foram condenadas à pena de morte, 30 das quais foram executadas.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала