EUA tentam proteger liberdade na Turquia

© AFP 2022 / YASIN BULBUL / POOLPresidente norte-americano Barack Obama fala com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante o encontro bilateral nas margems da cúpula do G20 em Antália, Turquia, 15 de novembro de 2015
Presidente norte-americano Barack Obama fala com o presidente turco Recep Tayyip Erdogan durante o encontro bilateral nas margems da cúpula do G20 em Antália, Turquia, 15 de novembro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O representante do Departamento de Estado dos EUA, Mark Toner, disse que os EUA estão preocupados com a adoção de uma emenda na Constituição turca que retira a imunidade parlamentar a mais de 100 membros do parlamento.

Deputados do partido governista turco e da formação pró-curda HDP no parlamento em Ancara, Turquia: 27 de abril de 2016 - Sputnik Brasil
Parlamento turco aprova lei de imunidade 'anticurda'
O Departamento de Estado considera que isso influenciará negativamente a liberdade de expressão na Turquia.

Como diz Toner, os EUA vão continuar a "acompanhar de perto" o desenvolvimento da situação no que se refere à aprovação da nova emenda, que deve ainda ser promulgada pelo presidente da Turquia.

"Se essa mudança resultar em redução do espaço de debate político, isso prejudicará a qualidade da democracia turca", disse o representante do Departamento de Estado norte-americano.

O Parlamento turco aprovou na sexta-feira (20) uma lei que permite levantar a imunidade dos seus deputados. A favor da adopção da lei votaram 376 dos 550 deputados, nomeadamente do Partido da Justiça e Desenvolvimento da Turquia, apoiado pelo presidente Erdogan. Contra votou o Partido Democrático dos Povos, que considera que a maioria dos deputados pode ser privada de imunidade e processada em conexão com acusações das autoridades de apoiar o Partido dos Trabalhadores do Curdistão, proibido na Turquia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала