Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Presidente da OEA não é agente da CIA e Maduro 'está louco como uma cabra', diz Mujica

Nos siga no
O ex-presidente do Uruguai, Pepe Mujica, disse que o presidente Nicolas Maduro está "louco como uma cabra" quando afirma que o atual secretário da Organização dos Estados Americanos (OEA), o uruguaio Luis Almagro, é um traidor e um agente da CIA. As declarações foram relatadas pelo site de notícias uruguaio Subrayado.

Nicolás Maduro, presidente da Venezuela. - Sputnik Brasil
Maduro denuncia possível intervenção estrangeira na Venezuela
Almagro, que também é ex-chanceler de Mujica, “não é nenhum traidor”, segundo o ex-presidente. “É um advogado, um escravo do Direito”, acrescentou.

Mujica, que compartilha com Almagro o mesmo setor da coalizão de governo Frente Ampla, no Uruguai, havia retirado seu apoio político ao ex-chanceler justamente pelas críticas que este fizera à Venezuela e ao governo Maduro desde que chegou à OEA.

Segundo o Subrayado, Mujica disse que respeita o líder venezuelano, mas que “isso não equivale a não lhe dizer que está louco, louco como uma cabra”.

“Estão todos loucos na Venezuela. Dizem qualquer coisa e assim não vão conseguir nada”, completou o ex-presidente uruguaio. 

Nicolás Maduro com sua esposa Cilia Flores - Sputnik Brasil
Venezuela: Maduro ameaça elevar nível do estado de emergência
Maduro, que recentemente declarou “estado de exceção e de emergência econômica” na Venezuela, vem enfrentando grandes protestos da oposição, que deseja a realização de um referendo revogatório para tirar o líder bolivariano do poder. 

Na quarta-feira (18), Almagro publicou uma carta aberta a Maduro, na qual afirmou que o presidente “tem um imperativo de decência pública de fazer o referendo revogatório em 2016".

"Negar a consulta ao povo, negar-lhe a possibilidade de decidir, transforma você em um ditadorzinho a mais, como tantos outros que o continente teve", continuou o diplomata uruguaio.

Um dia após o presidente venezuelano tê-lo acusado de estar a serviço da agência de inteligência norte-americana, a CIA, Almagro acusou Maduro de mentiroso, defendeu a libertação dos "presos políticos" e a devolução do "poder legítimo" ao Parlamento venezuelano, que teve seus poderes constitucionais reduzidos pelo Supremo Tribunal do país depois de se formar com maioria opositora em eleições abertas.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала