Rússia nunca monopolizou relações com países árabes

© AFP 2022 / MARWAN NAAMANI Equipe Al-Fursan da Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos durante o show aéreo de Dubai, 8 de novembro de 2015
Equipe Al-Fursan da Força Aérea dos Emirados Árabes Unidos durante o show aéreo de Dubai, 8 de novembro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia considera que as relações entre os países árabes e os países ocidentais devem ser baseadas no princípio da igualdade. Isso criará um ambiente saudável na região.

Jihadistas de Frente al-Nusra affiliada a Al-Qaeda's entram na cidade de Alepo no norte da Síria - Sputnik Brasil
Arábia Saudita tenciona armar oposição síria
A Rússia considera que a cooperação entre os países árabes e ocidentais é benéfica para a região, mas a intervenção unilateral mina a segurança, disse à Sputnik o representante permanente adjunto da Rússia na ONU, Vladimir Safronov.

“Nunca monopolizamos as nossas relações com os países árabes. Eles têm governos soberanos e podem ter relações normais com os países ocidentais, com a Rússia, é a sua decisão soberana…Por isso, somos a favor de relações normais com os países árabes”, disse Safronkov.

O diplomata destacou que o pensamento diplomático da Rússia recusa-se a aceitar o direito monopolizado de interferir nos assuntos de outros países, tendo em conta a guerra no Iraque iniciada em 2003.

“Primeiramente, o Conselho de Segurança [da ONU] nunca deu a sua autorização…A intervenção militar criou muitos problemas…Mas um outro aspeto da intervenção é que o vácuo político foi preenchido por organizações terroristas e agora temos ameaças como o Daesh”, sublinhou Safronkov.

O primeiro-ministro israelense, Benjamin Netanyahu - Sputnik Brasil
Arábia Saudita terá embaixada em Israel se país aceitar Iniciativa de Paz Árabe
Além disso, a Rússia é a favor de laços amigáveis entre rivais regionais – a Arábia Saudita e o Irã –. Moscou mantém com ambos os países relações construtivas, disse Safronkov.

Em 2 de janeiro, Riad anunciou a execução de 47 pessoas, incluindo o sheikh xiita Nimr al-Nimr, grande crítico das autoridades sauditas. A notícia provocou uma série de manifestações no Irã, especialmente nas cidades de Teerã e Mashhid, onde a embaixada e o consulado da Arábia Saudita foram parcialmente destruídos pelos manifestantes. No dia seguinte, o governo saudita convocou o embaixador iraniano para entregar uma nota de protesto, que foi seguida do rompimento das relações entre os dois países.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала