Primeira-ministra da Noruega não vê ameaça por parte da Rússia

© flickr.com / ser_is_snarkishFronteira entre a Rússia e a Noruega, Kirkenes
Fronteira entre a Rússia e a Noruega, Kirkenes - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A primeira-ministra da Noruega, Erna Solberg, declarou que não vê qualquer ameaça para o seu país por parte da Rússia.

“Não consideramos a Rússia como uma ameaça à Noruega. Eles nunca mostraram as suas ambições, nós cooperamos. Mas eles têm muitas forças militares perto de nós e, se alguma coisa acontecer, estamos no caminho deles”, disse Solberg no seu discurso no Centro de Pesquisas Estratégicas Internacionais.

Soldados americanos perto de um sistema antimísseis Patriot em Sochaczew, perto de Varsóvia, Polônia - Sputnik Brasil
Pentágono: escudo antimísseis na Europa não serve para defender os EUA da Rússia
A primeira-ministra explicou que, desde a Segunda Guerra Mundial, a Noruega e as vias marítimas têm grande importância estratégica. Entretanto, ela destacou que o poder militar da Rússia tem aumentando, em comparação com o que era 10-15 anos atrás.

Solberg lembrou que o seu país tem uma longa história da cooperação com a União Soviética e depois com a Rússia, que em geral tem sido bem-sucedida. Ela mencionou que, durante a Segunda Guerra Mundial, as forças soviéticas libertaram algumas regiões norueguesas dos nazistas.

Mas, na sua opinião, os acontecimentos na Crimeia, que Solberg chamou “anexação”, mostram o comportamento imprevisível da Rússia.

“Penso que a imprevisibilidade da Rússia é o maior desafio que enfrentamos. A Guerra Fria foi um período grave. Eles [a União Soviética] tinham forças muito bem equipadas, sabíamos que eles tinham capacidades militares caso alguma coisa acontecesse. Mas eles foram imprevisíveis”, disse a primeira-ministra.

Pyotr Poroshenko, presidente da Ucrânia, em reunião de gabinete em Kiev - Sputnik Brasil
EUA e países nórdicos pressionam Ucrânia para acelerar reformas
Por esta causa, a Noruega está reforçando, com a ajuda dos EUA, o controle e as capacidades dos serviços secretos. Segundo ela, a Rússia está fazendo a mesma coisa.

“Sabemos que eles sabem que nós sabemos. É um princípio muito bom, ser imprevisível mas conhecermo-nos um ao outro, mesmo quando não temos um equilíbrio”, adicionou Solberg.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала