- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Novo ministro da Justiça promete combater "atitudes criminosas" de movimentos sociais

© Agência ParanáProtesto do professores em Curitiba, em 29 de abril de 2015
Protesto do professores em Curitiba, em 29 de abril de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O recém-empossado ministro da Justiça e Cidadania, Alexandre de Moraes, declarou na quinta-feira (12) que atitudes de movimentos sociais consideradas como “criminosas” precisam ser combatidas à altura pelas forças de segurança pública.

Moraes conversou com um grupo de jornalistas após participar da cerimônia de posse do presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), ministro Gilmar Mendes. Na ocasião, ele foi perguntado sobre as muitas críticas que já recebeu com relação ao seu posicionamento intransigente diante de protestos e manifestações em espaços públicos.

"Não fui bastante questionado não. São dois, três jornalistas que questionam, não a população" – respondeu. Diante da insistência na pergunta, questionou: "Qual movimento social? Me diga um."

"Como todo movimento social, o MTST [Movimento dos Trabalhadores sem Teto] tem todo o direito de se manifestar. MTST, ABC ou ZYH serão combatidos a partir do momento em que deixarem o livre direito de se manifestar para queimar pneu, colocar em risco as pessoas, que são atitudes criminosas" – acrescentou o ministro.

Manifestantes gritam palavras de ordem e mostram cartazes dizendo Não vai ter golpe no ato na Paulista em 18 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Ativista avisa que movimentos populares contra o impeachment vão aumentar
Vale lembrar, que em seu discurso de posse na Secretaria da Segurança Pública (SSP) de São Paulo, Moraes defendeu o uso de balas de borracha por policiais no controle de multidões. Além disso, em faveiro, sob seu comando, a Secretaria resolveu tornar sigilosos por 50 anos todos os boletins de ocorrência registrados pela polícia em São Paulo. Foram classificados como secretos também os manuais e procedimentos da Polícia Militar paulista. A decisão foi assinada por Geraldo Alckmin.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала