Conheça o país mais seguro para mulheres

© AFP 2022 / ATTA KENAREMausoléu do Imã Reza no Irã
Mausoléu do Imã Reza no Irã - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O jornal iraniano Tehran Times escreve sobre as impressões de uma turista alemã que visitou o Irã.

“O Irã é um dos mais seguros países que eu visitei para as mulheres”, disse a turista alemã Dorothea Wisse.

Funcionário do setor petrolífero iraniano vai de bicicleta  perto da refinaria petrolífera no sul de Teerã, Irã - Sputnik Brasil
Produção de petróleo iraniano se aproxima dos níveis pré-sanções
Em um dia de calor, um correspondente do jornal se encontrou Dorothea na aldeia de Tabl, na ilha iraniana de Qeshm no Golfo Pérsico. Ela planeja ficar quatro dias nesta ilha com o seu noivo durante sua viagem ao Irã de três semanas. Mais cedo, Dorothea visitou nem só muitos países europeus, mas também o Canadá, a África do Sul e o Equador.

Juntos, os namorados visitarm as cidades iranianas de Kashan, Abyan, Natanz, Isfahan, Shahr-e Kord, Kuhrang, Khur e Yazd. A ilha de Ormuz e de Qeshm ficam por explorar.

"É muito difícil dizer qual de estes lugares é o mais bonito. Cada um é surpreendente e maravilhoso a seu modo", diz a turista alemã.

Ela acrescentou que, acima de tudo ela gostava da cidade de Khur. É uma cidade que fica perto do deserto Dasht-e Lut, na província de Isfahan.

Na sua opinião, o Irã não é um destino caro para viajar. "A comida é muito barata, com exceção dos pontos de interesse e locais históricos".

"Visto que eu sou vegetariana, tive alguns problemas com a deliciosa comida iraniana. E eu sinto falta do pão alemão".

Cidadã italiana Angela Corrias no Irã - Sputnik Brasil
Iranianos não pagam
Ela ficou admirada pelo fato de que a maioria dos visitantes dos locais históricos são iranianos, não estrangeiros. "Eu acho que isto é uma tendência boa. Em cidades como Paris, tudo é pelo contrário: é menos provável ver parisienses perto dos lugares de interesse, somente os próprios turistas", diz Dorothea.

Durante a sua estadia em Qeshm, Dorothea e seu noivo visitaram os manguezais, um geoparque, o Vale das Estrelas e desfiladeiro de Chahkouh.

As tartarugas e os tubarões na ilha de Ormuz e Hengam ilusionaram a Dorothea. "Como uma viajante europeia, eu vi várias coisas que você nunca vai encontrar na Europa. Na França, nos Estados Unidos e em muitos outros países ocidentais o modo de vida é completamente idêntico".

Ela explicou: "A razão é que o Irã é um país de outra civilização, outra religião e um clima diferente".

Sistema S-300. - Sputnik Brasil
EUA reconhecem: venda de mísseis russos S-300 ao Irã é legítima
"O Irã abre suas portas para turistas, e você pode ver todas as coisas que ouviu sobre este país", disse Dorothea.

Ela assinalou que do ponto de vista político, a mídia internacional divulga apenas as informações sobre o programa nuclear, os problemas econômicos e políticos do Irã.

"O Irã tem uma grande quantidade de pessoas abertas e felizes, elas estão contentes com suas vidas. Sua vida diária é muito mais calma do que mostra a mídia estrangeira. A geração dos jovens é aberta a todo e está em sintonia com o tempo", diz Dorothea.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала