- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Dilma diz que foi “antes tarde, do que nunca”, afastamento de Eduardo Cunha

© Roberto Stuckert Filho/PRPresidenta Dilma Rousseff durante inauguração da Usina Hidrelétrica de Belo Monte
Presidenta Dilma Rousseff durante inauguração da Usina Hidrelétrica de Belo Monte - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante inauguração da usina hidrelétrica de Belo Monte, no Pará, nesta quinta-feira (5) a Presidenta Dilma Rousseff comentou a decisão do ministro Teori Zavascki, relator da Operação Lava Jato no Supremo Tribunal Federal de afastar Eduardo Cunha(PMDB-RJ) do mandato de deputado federal e, em consequência, da Presidência da Câmara.

Teori atendeu a pedido do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, que acusou Cunha de tentar interferir na condução das investigações da Lava Jato.

Dilma Rousseff lamentou que Cunha não tenha sido afastado antes de vê-lo presidir a aprovação do impeachment na Câmara, ressaltando que pelo menos foi antes tarde, do que nunca.

“Hoje, antes de sair de Brasília, eu soube que o Supremo Tribunal Federal tinha afastado o Sr Eduardo Cunha, alegando que ele estava usando seu cargo para fazer pressões, chantagens. A única coisa que eu lamento, mas eu falo antes tarde do que nunca, é que infelizmente ele conseguiu presidir na cara de pau o lamentável processo (de impeachment) na Câmara.”

A Presidenta reafirmou que o processo de impeachment teve início por como forma de chantagem e vingança por parte de Eduardo Cunha.

"A base desse impeachment, o início dele foi uma chantagem do senhor Eduardo Cunha, que pediu para o governo votos para impedir seu próprio julgamento na Comissão de Ética na Câmara. Nós não demos os votos e ele entrou com o pedido de impeachment, que é um claro desvio de poder, pois ele usa seu cargo para se vingar de nós, porque nós não nos curvamos às chantagens dele.”

Bandeira do PT - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
PT sobre afastamento de Cunha: 'Decisão tardia, porém para ser comemorada'

Sobre o impeachment, a Presidenta voltou a dizer que o processo é golpista, pois segundo ela, não foi cometido crime de responsabilidade. De acordo com Dilma, estão fazendo uma eleição indireta travestida de impeachment.

“Está em questão, que eles não tem base para esse processo de impeachment, por isso que ele é golpe. A Constituição prevê que o impeachment pode ser feito, mas só se tiver crime de responsabilidade, não tenho é golpe. Se não é crime, se é golpe, o que eles querem mesmo? Eles não tem votos para chegar para a população brasileira e pedir para a população engolir as políticas que eles querem, então, estão fazendo uma eleição indireta, na qual o povo não participa. É isso que está sendo feito no Brasil.”

Edward Snowden e Eduardo Cunha (montagem) - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Snowden, na Rússia, reage a afastamento de Cunha: 'o caminho a seguir é uma eleição'

A Presidenta afirmou ainda, que o Brasil conquistou a democracia com muita luta e garantiu que vai continuar lutando para impedir o retrocesso dos programas sociais já assegurados para a população. Dilma Rousseff encerrou dizendo que “qualquer processo que tenta dar um golpe para garantir que os sem votos cheguem à Presidência nós devemos repudiar. Por isso, temos de afirmar em alto e bom som, que a democracia é o lado certo da história. Não haverá perdão da história para os golpistas.”

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала