Ex-chefe da Yukos pode vir a integrar lista de procurados da Interpol

© Sputnik / Ramil Sitdikov / Abrir o banco de imagensEx-chefe da Yukos Mikhail Khodorkovsky
Ex-chefe da Yukos Mikhail Khodorkovsky - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Interpol recebeu um mandado de procura internacional do ex-chefe da empresa petrolífera Yukos, Mikhail Khodorkovsky, informou na segunda-feira o jornal RBC Daily. A polícia deve solicitar documentos adicionais relacionadas com o caso de Khodorkovsky ao lado russo.

"A Interpol concordou em rever a sua posição quanto à colocação de Khodorkovsky no registro internacional de pessoas procuradas, com base no processo de assassinato do prefeito de Nefteyugansk. O lado russo foi instado a fornecer materiais adicionais relacionados com este processo", disse o interlocutor da agência.

O edifício da empresa Yukos - Sputnik Brasil
Cancelada a decisão que obrigou Rússia a pagar US$ 50 bi aos ex-sócios da Yukos
A fonte assinalou que o acordo foi alcançado depois de negociações entre o lado russo e os representantes da Interpol. “O lado russo assegurou que todos os documentos adicionais necessários serão enviados para França”, disse ele.

O porta-voz de Mikhail Khodorkovsky, Kulle Pispanen, afirmou que as informações sobre uma possível revisão da posição da Interpol sobre o ex-chefe da Yukos são falsas.

"Não é a primeira vez que o Comitê de Investigação russo divulga informações falsas para salvar as aparências de luta com Khodorkovsky", disse Pispanen à RBC.

Anteriormente a Interpol recusou incluir Mikhail Khodorkovsky na lista de procurados, porque o estatuto da organização não permite intentar processos ligados a motivos “políticos, militares, religiosos ou racistas”.

Mikhail Khodorkovsky - Sputnik Brasil
Khodorkovsky alvo de mandado de detenção internacional
Desde 2003, Khodorkovsky esteve preso e cumpriu uma pena de 10 anos por corrupção, fraude contábil, sonegação de impostos e evasão de divisas. Em dezembro de 2013, o governo da Rússia o anistiou.

O empresário russo vive atualmente fora da Rússia e, segundo a versão da investigação, quando era acionista e diretor da empresa Yukos, Khodorkovsky encarregou os seus funcionários Leonid Nevzlin e Aleksei Pichugin, além de outras pessoas, de matar o prefeito da cidade de Nefteyugansk, Vladimir Petukhov, e o empresário Evgueni Rybin.

A Yukos foi uma das maiores empresas do mundo entre 1996 e 2003 e a maior da Rússia no setor de extração, transporte, refino e distribuição de petróleo.
Em 2004, Khodorkovsky foi considerado o homem mais rico da Rússia e o 16º do mundo. Até ser preso, era considerado um dos mais poderosos oligarcas da Rússia.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала