Obama chama de ‘provocativo’ possível teste de míssil norte-coreano

© REUTERS / KCNANorth Korean leader Kim Jong Un guides on the spot the underwater test-fire of strategic submarine ballistic missile in this undated photo released by North Korea's Korean Central News Agency (KCNA) in Pyongyang on April 24, 2016
North Korean leader Kim Jong Un guides on the spot the underwater test-fire of strategic submarine ballistic missile in this undated photo released by North Korea's Korean Central News Agency (KCNA) in Pyongyang on April 24, 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente dos EUA, Barack Obama, disse que Washington coopera com Pequim para pressionar Pyongyang com relação a seus testes com mísseis.

Homem vê programa de TV mostrando imagem de lançamento de míssil feito pela Coreia do Norte - Sputnik Brasil
Pyongyang terminará testes nucleares se EUA encerrarem exercícios com a Coreia do Sul
O presidente americano, Barack Obama, rotulou como “ato provocativo” o possível lançamento de um míssil balístico realizado por um submarino norte-coreano neste sábado.

“O que está claro é que a Coreia do Norte continua com um comportamento provocativo. Eles vêm desenvolvendo um programa nuclear, uma capacidade de lançar armas nucleares. E, embora com certa frequência esses testes falhem, eles adquirem conhecimento a cada vez que realizam um desses testes”, disse Obama em uma entrevista coletiva na cidade de Hannover, na Alemanha.

No último sábado, os Chefes de Gabinete da Coreia do Sul declararam, segundo a imprensa local, que a Coreia do Norte disparou um míssil balístico de um submarino localizado na costa leste do país. O Comando Estratégico dos EUA também relatou ter detectado o possível lançamento de um míssil por parte de um submarino norte-coreano.

Obama disse ainda que Washington vem cooperando com Pequim para pressionar Pyongyang em relação a esses testes.

A tensão na Península da Coreia aumentou após a Coreia do Norte realizar com sucesso um teste com uma bomba de hidrogênio em janeiro. No mês seguinte, o país colocou em órbita um satélite, violando resoluções do Conselho de Segurança da ONU. A manobra foi condenada pela comunidade internacional.


Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала