Rússia indica para OTAN que o apoio a Kiev apenas corrobora com a guerra na Ucrânia

© Sputnik / Mikhail Markiv / Abrir o banco de imagensNational flag of Ukraine and the NATO flag
National flag of Ukraine and the NATO flag - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Durante a reunião do Conselho Rússia-OTAN, o lado russo indicou que, ao oferecer apoio político e militar ao governo da Ucrânia, a aliança colabora com o “partido da guerra”. Moscou exortou todos os membros do Conselho a pressionar Kiev a abandonar métodos violentos para solucionar a crise em Donbass.

A informação foi prestada nesta quarta-feira (20) pelo representante permanente da Rússia na OTAN, Aleksandr Grushko.

"Expressamos preocupação com a degradação da situação no sudeste da Ucrânia, com as continuas violações do regime de cessar-fogo. Indicamos diversos fatos registrados pela missão da OSCE de uso de armamentos pesados pelas forças de Kiev, ataques indiscriminados a posições dos independentistas, ocupações de regiões habitadas na "zona cinza" [linha de conflito], ausência de armamentos sujeitos à retirada nos depósitos das Forças Armadas da Ucrânia" – destacou Grushko ao fim da reunião do Conselho.

Líder do grupo extremista Setor de Direita Dmitry Yarosh - Sputnik Brasil
Político faz previsões sombrias em relação à Ucrânia
Ele destacou ainda que as autoridades ucranianas continuam tentando ditar a sua interpretação dos acordos de paz assinados em Minsk para a resolução do conflito, e que essa leitura de Kiev nada tem a ver com aquilo que fora de fato acordado naquele documento.

Segundo ele, uma série de itens dos Acordos de Minsk jamais foram cumprimos por Kiev, como, por exemplo, a aprovação de uma lei proibindo a perseguição de pessoas implicadas em eventos ocorridos em certas regiões das autoproclamadas repúblicas de Donetsk e Lugansk.

"Sob diversos pretextos, as autoridades da Ucrânia evitam conceder um estatuto especial permanente a Donbass, firmado de forma legislativa. Não houve qualquer emenda à Constituição nesse sentido. O diálogo sobre o caráter das eleições está sendo conduzido com grandes dificuldades. A realização dessas eleições é previamente amarrada a condições inaceitáveis para representantes de Donbass" – explicou Grêshko.

Joe Biden e Vladimir Groisman (Foto de arquivo) - Sputnik Brasil
‘Não se esqueça de quem somos’: EUA telefonam para Ucrânia
Nas suas palavras, Moscou está especialmente preocupada com a intenção de Kiev em tentar solucionar a crise de Donbass através do uso de força. Nesse sentido, o apoio político e militar dos EUA apenas corrobora com esse cenário.

Assim, segundo Grêshko, preocupa a Rússia o fato de muitos militares ucranianos, que receberam treinamento de instrutores vindos dos EUA, do Canadá e de outros países da OTAN, estarem se dirigindo para a "linha de contato" desse conflito.

Falando em pontos positivos da reunião, o representante russo frisou que todos os membros do Conselho Rússia-OTAN reconheceram o fato de que a única solução para a regulação da crise ucraniana reside no cumprimento pleno dos Acordos de Minsk.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала