China testa novo míssil com ogivas múltiplas, levantando preocupações dos EUA

© Foto / Youtube/ 自由の声4O míssil intercontinental balístico chinês Dongfeng-41 (DF-41)
O míssil intercontinental balístico chinês Dongfeng-41 (DF-41) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A China já teria testado o seu novo míssil balístico intercontinental Dongfeng-41 (DF-41), considerado o míssil de maior alcance no mundo.

O Dongfeng-41 é um míssil intercontinental balístico nuclear de combustível sólido e máquina móvel, que pode disparar de 6 a 10 ogivas múltiplas nucleares com direção independente, a uma distância de mais de 10 mil quilômetros.

Vista do edifício do Ministério das Relações Exteriores russo em Moscou, Rússia - Sputnik Brasil
Moscou: Irã não violou normas ao testar míssil balístico
O teste do DF- 41 coincidiu com a visita dos líderes militares chinês e americano à região do Mar da China Meridional, informou o site estadunidense Washington Free Beacon, citando uma fonte do Pentágono.

 O teste do míssil também coincidiu com a visita do secretário de Defesa dos EUA Ashton Carter ao porta-aviões estadunidense USS Stennis, que estava navegando no Mar da China Meridional na semana passada.

O lançamento do míssil chinês foi registrado pelos sistemas estadunidenses de posicionamento por satélite. A fonte não especificou onde foi feito o lançamento desta vez.

Antes o site havia informado: "As agências de inteligência dos EUA estimam que o DF-41 será capaz de portar até 10 mísseis de reentrada múltipla independentemente direcionados (MIRV), aumentando o estoque de ogivas de Pequim, que atualmente é formado por mísseis de uma ogiva e conta com cerca de 300 unidades."

A long-range Qadr ballistic missile is launched in the Alborz mountain range in northern Iran on March 9, 2016. (File) - Sputnik Brasil
Irã realizou mais um teste de míssil balístico nesta terça-feira
​Antes o jornal militar asiático Kanwa informou que “o míssil de maior alcance no mundo” chinês deveria entrar em serviço até 2016.

A informação sobre o desenvolvimento do novo míssil balístico de terceira geração pela China apareceu pela primeira vez na imprensa em julho de 2014, quando os Estados Unidos publicaram um relatório sobre "As tendências na segurança e esfera militar".

De acordo com o relatório, a China estava melhorando o seu nível de armamentos e intensificando o seu treinamento militar, que era já na altura considerado por Washington como uma ameaça.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала