- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Exclusivo: deputado Sibá Machado (PT-AC) fala em consolidação do golpe pela Câmara

© Marcelo Camargo/Agência BrasilSessão de votação do impeachment na Câmara dos Deputados
Sessão de votação do impeachment na Câmara dos Deputados - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O deputado federal Sibá Machado (PT-AC) comentou, com exclusividade para Sputnik Brasil, os resultados da votação na Câmara, que aprovou o pedido de abertura de impeachment neste domingo, 17.

“O que nós tivemos na noite deste domingo, 17 de abril, foi a verdadeira consolidação do golpe tramado contra a Presidenta Dilma Rousseff. E, agora, o próximo alvo será o ex-Presidente Luíz Inácio Lula da Silva. Foi uma grande aliança do Presidente da Câmara, Eduardo Cunha, com o Vice-Presidente Michel Temer mais o grande capital, setores do Poder Judiciário e alguns órgãos da grande mídia. Além disso, tivemos a mudança de posição de vários parlamentares: partidos que estavam fechados com o governo registraram a mudança de opinião de vários parlamentares. Para nossa decepção, até sábado, estes parlamentares estavam conosco. Mas, no domingo, houve a mudança de posição. Em resumo, foi isso o que aconteceu: uma grande aliança de extrema direita e um forte espírito de corpo. Ou seja, o jeito Eduardo Cunha de fazer política.”

Homem lê um jornal francês tomando o café. - Sputnik Brasil
Imprensa internacional dá grande destaque à autorização do impeachment de Dilma
O pedido de impeachment da Presidente Dilma Rousseff obteve 367 votos e foi aprovado pela Câmara dos Deputados neste domingo. O voto decisivo, o 342º, veio com o deputado Bruno Araújo (PSDB-PE), e o placar final apontou 367 votos a favor, 137 contra, sete abstenções e duas ausências. Para aprovação, o processo precisava de 342 votos de um total de 513 integrantes da Casa.

Após aprovação na Câmara, o processo de impeachment segue para análise do Senado, que instalará uma comissão especial para analisar a denúncia. A comissão, em seguida, emitirá um parecer a favor ou contra a instauração de um processo contra Dilma Rousseff.

Depois disso, os senadores votam pela abertura ou pelo arquivamento do processo de impeachment. São necessários 41 votos (de 81 membros do Senado) para que o processo seja instaurado formalmente e Dilma Rousseff seja afastada do cargo.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала