Revelados os conteúdos das caixas-pretas do Boeing 737 que caiu na Rússia

© REUTERS / StringerFuncionários do Ministério de Emergências no local do acidente do voo FZ981, da FlyDubai
Funcionários do Ministério de Emergências no local do acidente do voo FZ981, da FlyDubai - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O portal de notícias LifeNews publicou nesta quinta-feira (7) as informações contidas nas caixas-pretas do Boeing 737 da companhia aérea Flydubai, acidentando na cidade russa de Rostov-no-Don em março deste ano.

De acordo com a publicação, especialistas da Rosaviatsia (Agência Federal de Transporte Aéreo da Rússia) e do Comitê Internacional de Aviação conseguiram reconstituir em colaboração com o Comitê Investigavo a crônica dos acontecimentos que antecederam o acidente.

Ao se preparar para o pouso, a uma altura de 1500 metros, o piloto do Boeing decidiu dar uma segunda volta por conta de uma mudança de vento. No entanto, ao alcançar a zona de espera de 2500 metros, a formação de gelo na fuselagem obrigou a aeronave a ganhar mais altitude, subindo até 4550 metros.

Emergencies Ministry members work at the crash site of a Boeing 737-800 Flight FZ981 operated by Dubai-based budget carrier Flydubai, at the airport of Rostov-On-Don, Russia, March 19, 2016. - Sputnik Brasil
Investigação sobre acidente da FlyDubai é prioridade máxima na Rússia
22 minutos antes da catástrofe, o piloto reportou sobre as condições meteorológicas. Segundo ele, a mudança de vento foi moderada, com velocidades entre 13 e 18 metros por segundo, enquanto a visibilidade era de 5 quilômetros. Relatou-se ainda "chuva fraca, neblina e forte turbulência em linha reta". Em resposta, o operador teria contestado a informação sobre mudança de vento.

A catástrofe aconteceu por motivos desconhecidos quando, em meio a uma segunda tentativa de pouso, o piloto decidiu dar uma nova volta ao atingir a altitude de cerca de 1000 metros. Na tentativa de retomar altitude em regime manual, o estabilizador entrou em regime de "mergulho", forçando a aeronave para baixo.

"A uma altitude de cerca de 1000 metros, o avião começou a baixar e, tombando para o lado esquerdo, caiu sobre a pista de pouso" – diz o artigo.

De acordo com os registadores de voo, não houve indícios de falha nos sistemas ou de perda de potência da aeronave. Dessa forma, sobraram duas hipóteses para explicar o acidente: problema com o sistema do Boeing ou discordância nas ações da tripulação.

Destroços do avião Boeing 737-800 da FlyDubai e funcionários do Ministério de Emergências russo no aeroporto de Rostov-no-Don, Rússia, 19 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Avião da FlyDubai pode ter caído devido a conflito entre pilotos
A segunda hipótese foi levantada ainda na semana passada, quando o jornal russo Kommersant divulgou a informação de que a tragédia pode ter sido causada por uma discussão no cockpit entre os pilotos.

Especialistas destacam que mudanças locais de vento (tanto de direção como de velocidade) são fenômenos difíceis de prever e podem afetar de forma significativa as decolagens e os pousos das aeronaves, influindo ainda sobre a intensidade das turbulências. Assim, uma mudança de vento pode provocar a perda de controle de um avião.

Em 19 de março, um Boeing 737-800 da companhia FlyDubai explodiu durante a aterrissagem no aeroporto russo de Rostov-no-Don, matando todas as 62 pessoas a bordo. A comissão de inquérito segue investigando o caso.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала