Sapadores e equipas russas com cães iniciam missão em Palmira

© Sputnik / Pavel Gerasimov / Abrir o banco de imagensSapadores russos preparam-se para a desminagem de Palmira no Centro Internacional de Desminagem em Nakhabino, região de Moscou, Rússia, 29 de março de 2016
Sapadores russos preparam-se para a desminagem de Palmira no Centro Internacional de Desminagem em Nakhabino, região de Moscou, Rússia, 29 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O primeiro grupo de especialistas russos já saiu da base aérea russa de Hmeymim para a cidade de Tadmor, nos arredores do qual fica o complexo arquitetônico de Palmira.

A coluna militar russa percorrerá 300 km até ao local, para desativar minas em infraestruturas da cidade. Segundo os militares, já hoje os engenheiros começarão a equipar o campo principal perto de complexo arquitetônico, depois começarão a busca e desminagem de engenhos explosivos, limpeza do território e desminagem do terreno.

Anfiteatro na parte histórica de Palmira, Síria, 28 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Ocidente não está interessado nem em Palmira, nem na paz na Síria
Para garantir a sua segurança durante a viagem até o local de destino, a coluna será acompanhada por helicópteros de combate Mi-24 e Mi-28.

A coluna inclui mais de 20 veículos: veículos blindados de transporte de pessoal BTR-82A, caminhões pesados KAMAZ equipados com aparelhos de engenharia especiais e equipamento para criar um campo militar.

Entre o equipamento militar estão complexos robotizados de desminagem a distância Uran-6. O operador de tal sistema pode ficar a distância de 1,5 km do robô.

Além de sapadores, a equipa de especialistas militares russos inclui cinólogos. Os cães dos militares podem dedcobrir praticamente todas as substâncias explosivas conhecidas e, o que é mais importante, podem trabalhar em locais inacessíveis para o equipamento militar. Os militares russos trouxeram 4 cães ensinados.

Parte histórica de Palmira destruída pelos terroristas do Daesh, Síria, 27 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Sapadores russos desativarão minas em Palmira
O exército sírio informou oficialmente em 27 de março sobre a liberação de Palmira dos militantes do Daesh com o apoio da Força Aérea e das milícias populares do país, bem como a Força Aeroespacial russa.

O grupo jihadista destruiu parte da cidade, que é considerada Patrimônio da Humanidade pela UNESCO.

Os especialistas divergem sobre o prazo de restauração de Palmira, de alguns anos até algumas dezenas de anos. Mais cedo, a diretora da UNESCO, Irina Bokova, disse ao presidente russo Vladimir Putin que a UNESCO está começando a elaborar projetos de preservação e restauração dos restantes monumentos da cidade antiga.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала