Rússia atacou mais 2 mil posições terroristas em março na Síria

© Sputnik / Igor Kovalenko / Abrir o banco de imagensBombardeiros russos Su-34 voltam para a Rússia, região de Voronezh, Rússia, 15 de março de 2016
Bombardeiros russos Su-34 voltam para a Rússia, região de Voronezh, Rússia, 15 de março de 2016 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Força Aeroespacial russa realizou na região de Palmira na Síria cerca de 500 missões entre 7 e 27 de março contra 2 mil instalações terroristas, disse aos jornalistas na quinta-feira (31) o chefe da Direção Operacional Geral do Estado-Maior das Forças Armadas russas, tenente-general Sergei Rudskoy.

“Em 7-27 de março nos interesses das unidades do Exército governamental (da Síria) na região de Palmira, a Força Aeroespacial russa realizou cerca de 500 missões, durante as quais alvejou mais de 2 mil posições terroristas. Em resultado destes ataques foram eliminados principalmente instalações e posições de artilharia em todos os montes principais”, disse Rudskoy.

Aviões de assalto russos Su-25 que regressaram para a Rússia da base aérea de Hmeymim na Síria, Primorsk-Ahtarsk, Rússia, 17 de março de 2016 - Sputnik Brasil
No meio de retirada aviação russa continua combatendo terrorismo na Síria
Destacou também que nos primeiros dois dias da operação em Palmira a aviação russa eliminou a maioria de pontos de comando dos militantes. Segundo ele, a aviação russa eliminava colunas de automóveis com militantes e munições que tentavam penetrar em Palmira do lado de Raqqa e Deir ez-Zor.

Rudskoy afirmou também que nenhum dos monumentos históricos de Palmira sofreu danos em resultado de atividades da aviação russa.

“Durante toda a operação os aviões da Força Aeroespacial russa realizaram ataques somente contra as instalações dos terroristas que tinham sido indicadas… As instalações mais importantes dos terroristas foram eliminadas usando munições de alta precisão, cujos alvos eram definidos a partir de terra no tempo real. Quero sublinhar que nenhum dos objetos históricos de Palmira sofreu danos em resultado de ações da Força Aeroespacial da Rússia”, disse Rudskoy.

Caças russos Su-25 decolam da base aérea de Khmeimim na Síria. - Sputnik Brasil
Caças russos fizeram 41 investidas contra o Daesh em meio à libertação de Palmira
Segundo Rudskoy, as ações militares estão suspensas na maior parte de províncias de Homs, Hama e Aleppo.

No dia 22 de fevereiro, Rússia e Estados Unidos chegaram a um acordo para um cessar-fogo na Síria. O acordo entrou em vigor no dia 27 de fevereiro, mas não se aplica ao Daesh nem à Frente al-Nusra, grupos terroristas em ação no país.

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou, em 14 de março de 2016, a retirada parcial das forças russas da República Árabe da Síria. A presença militar de Moscou começou em 30 de setembro de 2015, quando o parlamento russo aprovou o envio de um grupo da Força Aeroespacial, após um pedido de Bashar Assad. O governo de Damasco pediu a ajuda russa no combate aos grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала