Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Mídia: armamentos da Rússia parecem ser de ‘ficção científica’

© Sputnik / Alexey MalgavkoParticipantes da exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo
Participantes da exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo - Sputnik Brasil
Nos siga no
A operação das Forças Aeroespaciais da Rússia na Síria não só se tornou um êxito político, mas também militar: Moscou mostrou ao todo o mundo que o seu caro programa de reformas militares traz frutos.

A respectiva informação foi divulgada pelo canal de TV norte-americano Vice News.

Cabe mencionar que em seis meses da operação russa no país árabe, só um avião russo foi derrubado, o que demonstram, segundo a fonte, as capacidades da Rússia nas áreas de treinamento de militares e na de novos armamentos.

O mundo viu fatos e capacidades reais em vez de declarações que o Ocidente estava proferindo durante vários anos, alegando a presença de "problemas sérios" no exército russo, notou o canal de TV.

A emissora citou Michael Kofman, analista americano do Centro de Analise Naval (CNA, na sigla em inglês) que disse:

“Se na altura foi dito que em 2016 eles [russos] começariam uma campanha na Síria – tão remota e com Forças Aéreas modernizadas – que realizariam uma operação por meses… usariam drones… Isso seria percebido como a ficção científica”.

Tanque T-90 russo - Sputnik Brasil
Ministério da Defesa exige parar ‘historias de terror’ sobre invasão russa na Europa
A Rússia planeja modernizar 70 por cento do seu equipamento militar até 2020. O custo total do programa de modernização é estimado em cerca de 20 trilhões de rublos (cerca de $286  bilhões pelo câmbio atual).

O canal de TV nota que esta decisão russa faz "parte principal da política externa de qualquer país grande do mundo" e não é um tipo de gabolice.

Em 30 de setembro de 2015 a Rússia começou a operação na Síria ao pedido do presidente do país árabe, Bashar Assad, visando ajudar no combate aos grupos terroristas Daesh e Frente al-Nusra (ambos proibidos na Rússia).

O presidente russo, Vladimir Putin, ordenou, em 14 de março de 2016, a retirada parcial das forças russas da República Árabe da Síria. 

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала