Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Ministério da Saúde anuncia liberação de R$ 20 milhões para novas ações contra o Aedes

REPORTAGEM PESQUISA AEDES
Nos siga no
O Ministério da Saúde anunciou novas ações do Plano Nacional de Enfrentamento ao Aedes Aegypti e à Microcefalia. O governo vai lançar editar no valor de R$ 20 milhões para intensificar a realização de pesquisas de combate ao mosquito e às doenças por ele transmitidas. Os estudos vão englobar o controle do vetor, diagnóstico, prevenção e tratamento.

Segundo o Ministro da Saúde, Marcelo Castro, através dos editais, qualquer pesquisador do país, independente ou ligado a algum grande centro de estudos, vai poder participar e contribuir com seus projetos no combate ao mosquito e na criação de vacinas.

“Foi anunciada aqui uma linha na qual nós já estamos atuando, que é a linha de desenvolvimento das pesquisas para diagnósticos mais precisos, para tratamentos que nós não temos, e para o desenvolvimento de vacinas que nós não temos ainda. Estaremos na próxima semana lançando um edital exatamente para cobrir, ou seja, vamos colocar R$ 20 milhões em edital à disposição de todo e qualquer pesquisador do país que queira contribuir nessas áreas que nós acabamos de citar. As pessoas vão poder ter acesso, porque, normalmente, só os grandes institutos é que terminam tendo acesso a esses recursos. Com esse edital amplamente aberto, todo e qualquer pesquisador do país vai poder concorrer, e poder ter o seu projeto aprovado e financiado pelo Ministério da Saúde”.

De acordo com o Ministro de Ciência, Tecnologia e Inovação, Celso Pansera, a partir de quinta-feira (24), os editais já vão começar a ser publicados para selecionar os projetos e liberar o mais rápido possível os recursos para as pesquisas e o desenvolvimento de vacinas contra as doenças transmitidas pelo Aedes.

“Nós queremos que o Brasil tenha no prazo de 3 a 4 anos vacinas eficientes para isso, estratégias eficientes para combater o vetor dos vírus, e por isso nós desenvolvemos todo um estudo. São em torno de 20 editais diferentes sobre assuntos e abordagens diferentes do combate ao mosquito e também aos vírus”.

La Cumbia del mosquito - Sputnik Brasil
América Latina requebra na guerra contra o Aedes Aegypti (vídeos)
Presente no evento, a presidenta Dilma Rousseff informou que serão disponibilizados R$ 649 milhões em pesquisa e desenvolvimento tecnológico para o combate ao vírus zika, ao mosquito Aedes aegypti e aos outros vírus que ele transmite. Segundo ela, 93% desse total será aplicado até o final de 2018, quando termina seu mandato, e o governo ainda vai liberar R$550 milhões em crédito na Financiadora de Estudos e Projetos (Finep) e no Banco Nacional de Desenvolvimento (Bndes) para financiar a parte de geração, adoção e a comercialização de novas tecnologias.

Também foram anunciados pelo Ministério da Saúde investimentos para o início da nova fase de testes com a introdução no meio ambiente de mosquitos estéreis ou mosquitos infectados com a bactéria Wolbachia (Volbaquia), que é capaz de inibir a transmissão de vírus pelo Aedes Aegypti. A expectativa é a de que, na próxima semana, representantes da fundação americana Bill Gates venham ao Brasil para definir os próximos rumos da pesquisa. O ministério analisa a possibilidade de que cidades como o Rio de Janeiro, sede dos Jogos Olímpicos e Paralímpicos, e Niterói sejam potenciais regiões para a liberação do mosquito infectado com a bactéria.

Estudos pilotos já foram realizados nos bairros da Ilha do Governador, no Rio de Janeiro, e no bairro de Jurujuba, em Niterói. Agora, a ideia do governo é fazer a pesquisa contemplando toda a área territorial de uma cidade e com uma população maior.

A proposta do Ministério da Saúde é usar os mosquitos infectados como uma alternativa segura e autossustentável para o controle da dengue, do zika vírus e da chikungunya. A iniciativa também acontece na Austrália, Vietnã, Indonésia e Colômbia.

A previsão é de se investir um total de R$ 258 milhões em novas tecnologias de combate ao mosquito nos próximos quatro anos.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала