- Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Sanções contra a Rússia prejudicam empresas do Canadá

© AFP 2022 / VANDERLEI ALMEIDAEmpresa russa Rostec durante Feira de Defesa e Segurança LAAD no Rio de Janeiro, 2013
Empresa russa Rostec durante Feira de Defesa e Segurança LAAD no Rio de Janeiro, 2013 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A decisão do governo canadense de impor sanções comerciais a uma série de companhias russas está, na verdade, prejudicando as empresas do próprio Canadá, segundo informou a corporação russa Rostec através de um comunicado.

Rostec - Sputnik Brasil
A marca do conglomerado russo Rostec foi avaliada em mais de US$ 420 milhões
De acordo com a Rostec, Ottawa está introduzindo sanções contra as holdings Roselektronika, Shvabe, Technodinamika, Tehmash, Technopromexport e empresas do Consórcio Kalashnikov. No entanto, nenhuma dessas realiza atividades conjuntas com empresas do Canadá, fornece produtos ou possui ativos no país.

“As sanções comerciais, sejam elas contra executivos (pessoas físicas) ou contra as holdings listadas acima (pessoas jurídicas), prejudicam as empresas canadenses, impedindo que as companhias realizem novos acordos, incluindo projetos de cooperação conjunta no mercado russo”, explicou Vasily Brovko, diretor do Departamento de Comunicação, Informação e Análise da estatal, acrescentando que, ainda assim, a Rostec continuará disposta a cooperar construtivamente com as corporações canadenses se houver interesse. 

Segundo Bovko, a organização russa, que mantém cooperação tecnológica em grande escala com empresas de diversas partes do mundo (incluindo Boeing, Airbus, Daimler, Pirelli, Aliança Renault-Nussan, General Electric, Siemens, Safran, Thales, Finmeccanica, Agusta Westland, Sagem, Rohde & Schwarz e Rolls-Royce), vê no atual cenário internacional, em meio a crises e sanções, a América Latina, e sobretudo o Brasil, como uma alternativa interessante para novos projetos. 

“A visita do presidente russo Vladimir Putin em julho de 2014 confirma a importância da região. A América Latina é um mercado — no qual a Rostec já está inserido — que cresce de forma dinâmica e com boas perspectivas. A posição do conglomerado estatal russo é a de ampliar ativamente sua presença nos países da região, oferecendo aos sócios novas oportunidades de colaboração nas esferas civil e militar”, concluiu.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала