Opinião: Rússia pode manter luta contra Daesh após retirada de forças da Síria

© Sputnik / Ministério da Defesa da Federação da Rússia / Abrir o banco de imagensUm bombardeiro estratégico Tu-22, da Força Aeroespacial da Rússia, durante a operação na Síria
Um bombardeiro estratégico Tu-22, da Força Aeroespacial da Rússia, durante a operação na Síria - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia deve manter força suficiente na Síria para continuar a luta contra o grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) e a Frente al-Nusra. Quem afirma é o vice-presidente do Centro de Pesquisa Política russo ‘PIR’, Evgueny Buzhinski.

Bandeira síria esvoaçando enquanto os carros seguem por ponte durante a hora de ponta, Damasco, Síria, 28 de fevereiro de 2016 - Sputnik Brasil
Ex-comandante da OTAN: Síria deveria ser dividida
Nesta segunda-feira (14) o presidente da Rússia, Vladimir Putin, anunciou o início da retiradas das tropas russas da Síria a partir de 15 de março, considerando os objetivos cumpridos. 

“O período de realização de ataques em massa, fazendo 80 voos com os caças por dia, obviamente está concluído. Em seguida, já não haverá a necessidade de realizar tantas operações, considerando que a oposição moderada aderiu ao regime de cessar-fogo, e deve haver força suficiente para manter a luta contra o Daesh e a Frente al-Nusra”, disse o especialista. 

De acordo com ele, as defesas aéreas russas vão permanecer na Síria, e o grupo de aviação será reduzido, mas quais as forças que vão permanecer na base da Síria, apensa o Estado-Maior sabe. 

A Rússia iniciou as operações militares na Síria em 30 de setembro de 2015 após o pedido do presidente Bashar Assad para atacar posições do grupo Estado Islâmico e da Frente al-Nusra. Paralelamente, uma coalizão internacional liderada pelos Estados Unidos realiza ataques contra o Estado Islâmico sem a autorização do governo sírio. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала