Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Moscou reage à invasão da sede do jornal oposicionista turco Zaman

© AP Photo / Selahattin Sevi, Zaman via APPolícia turca invade redação do jornal de oposição Zaman
Polícia turca invade redação do jornal de oposição Zaman - Sputnik Brasil
Nos siga no
Em relação aos acontecimentos Moscou apelou os seus parceiros ocidentais que exijam que Ancara respeite padrões internacionais de liberdade de imprensa. A respetiva informação foi divulgada neste sábado pela representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova.

A nota foi publicada no site oficial do Ministério das Relações Exteriores da Rússia.

Agentes da polícia turca irromperam na sede do diário oposicionista Zaman, em Istambul, disparando canhões de água e gás lacrimogêneo contra os manifestantes que protestavam na rua contra a intervenção do governo no meio de comunicação.

Esta sexta-feira (4), um tribunal de Istambul ditou a intervenção no Zaman, o que provocou rumores nos círculos mediáticos sobre o seu possível fechamento.

Segundo o próprio jornal, neste preciso momento os agentes estão a revisar a sua sede.

Tear Gas, Water Cannon: Turkish Police Raid Zaman Newspaper in Istanbul - Sputnik Brasil
Polícia turca invade jornal com gás lacrimogêneo e canhão d’água
Enquanto isso, a polícia continuava a dispersar os milhares de simpatizantes do diário, que cantavam em coro "Tirem as mãos do nosso jornal" e "Não poderão acabar com a imprensa livre".

No editorial desta sexta-feira, o Zaman havia denunciado a chegada da "fase final de opressão daqueles que tentavam preservar a voz independente das suas publicações". O texto também lamenta que hoje em dia os jornalistas passem mais tempo em tribunais do que a escrever nas redações.

Segundo o jornal, a intervenção do Estado na mídia é outra maneira de silenciá-los. É citado como exemplo a nomeação de auditores para o grupo de mídia Koza-Ipek, após o que, sob o pretexto de falência, na terça-feira foram fechados os canais de televisão privados Kanalturk e Bugün TV, bem como os diários Bugün Gazetesi, Millet Gazetesi e a emissora Kanalturk Radyo.

O governo turco afirma que o Koza-Ipek e o Zaman estão ligados ao pregador islâmico de oposição Fethullah Gulen, considerado como terrorista pelo presidente turco, Recep Tayyip Erdogan.

Por sua vez, o Departamento de Estado dos EUA qualificou como "preocupante" a decisão do Governo turco de intervir na gestão do Zaman.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала