Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Cientistas estão perto de descobrir mistério dos dinossauros

© Foto / NASA / Don DavisA impressão dum artista do asteróide que matou os dinossauros
A impressão dum artista do asteróide que matou os dinossauros - Sputnik Brasil
Nos siga no
Os cientistas estão se preparando para uma expedição de perfuração da cratera de um asteroide que atingiu a Terra 66 milhões de anos atrás, com o objetivo de descobrir o que realmente aconteceu na altura.

O grupo de investigadores está finalizando o projeto de expedição à cratera de Chicxulub, localizada nas proximidades da aldeia mexicana com o mesmo nome. A expedição está prevista para finais de março. 

O objetivo da expedição é descobrir o que realmente aconteceu quando um asteroide gigantesco atingiu a Terra 66 milhões de anos atrás.

Simulação da aproximação de um asteroide. - Sputnik Brasil
Área de crateras por impacto de asteroide pode ser a maior já descoberta
O projeto, avaliado em 10 milhões de dólares, está sendo financiado pelo Programa Internacional de Descoberta Oceânica (IODP na sigla em inglês) e pelo Programa Científico Internacional Continental de Perfuração. Esta será a primeira tentativa de perfuração no mar, que visa colher amostras da cratera, visto que esta última tem uma parte em terra e outra no mar (no Golfo do México)

Os cientistas vão perfurar precisamente nesta zona marítima, junto à costa da península de Iucatã. A cratera de Chicxulub, de aproximadamente 180 quilómetros de diâmetro, foi produzida pelo impacto de um asteroide que, segundo estimativas, tinha 10 quilómetros de diâmetro. 

Um grupo de cientistas atingirá o ponto necessário a partir de uma plataforma marítima, devendo depois perfurar 1,5 mil metros do leito marinho. O objetivo é atingir o chamado "anel de pico" da cratera, quer dizer, o anel formado pelas pedras que se elevaram e rodearam o centro da cratera em resultado da colisão com o asteroide.

Para além disso, os cientistas esperem achar vestígios da vida que se formou no local após a colisão.

Os "anéis de pico" geralmente são caraterizados pela presença de vida exótica, e os depósitos que foram formados na cratera há já milhões de anos devem manter os primeiros traços de recuperação da vida marinha.

"Os sedimentos que encheram a cratera devem possuir o maior número de organismos vivos no fundo do mar e na água que permaneceram ali na primeira recuperação após o evento e a extinção em massa", disse Sean Gulick, cientista americano e um dos líderes da expedição.

Os cientistas começaram pela primeira vez a ligar a extinção dos dinossauros com o impacto de um asteroide ou cometa em 1980; a cratera de Chicxulub foi descoberta apenas alguns anos antes disso. 

Em 1990, Chicxulub foi considerado como tendo sido o local da colisão com um asteroide gigantesco. Acredita-se que este tivesse atingido a Terra cerca de 66 milhões de anos atrás, na mesma altura em que aconteceu a extinção dos dinossauros, bem como mais de 50 por cento de todas as espécies conhecidas que viviam na época.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала