Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

‘Turquia perdeu iniciativa e impacto na crise síria’

© REUTERS / Murad SezerFronteira entre Turquia e Síria
Fronteira entre Turquia e Síria - Sputnik Brasil
Nos siga no
Um cientista político comentou à Sputnik a situação que acontece na frente da fronteira turco-síria, o papel da Rússia na pacificação na região e as falhas na política externa turca.

Turkish soldiers hold their positions with their artillery pieces, bottom, on a hilltop in the outskirts of Suruc, at the Turkey-Syria border, overlooking Kobani, Syria, background, during fighting between Syrian Kurds and the militants of Islamic State group, Thursday, Oct. 16, 2014 - Sputnik Brasil
Curdos sírios: ‘Ataques turcos não nos pararão, continuaremos a combater os terroristas’
As Forças Armadas turcas continuam realizando ataques contra posições de milícias curdas YPG na povoação síria Azaz. Na quarta-feira (17) a base aérea militar Minig que está localizada em 9 quilómetros da fronteira sofreu um ataque de artilharia. Os curdos tomaram controle desta parte da fronteira uns dias mais cedo.

De acordo com os apelos do Conselho de Segurança da ONU à Turquia para parar de atacar os curdos, a questão da possibilidade de permitir que a Turquia realize uma operação terrestre na Síria continua sendo discutido.

Segundo o especialista em problemas da segurança nacional da Universidade de Damasco e cientista político Mehmet Yuva, a crise síria atual é muito parecido com "uma granada com o pino de segurança tirado e deixado nas mãos da Turquia".

"A Turquia atingiu um ponto que é caracterizado por uma perda de iniciativa e o impacto sobre a crise síria. O Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) por causa de sua política míope no que diz respeito à Síria está enfrentando um dilema político. No ambiente atual, e invasão turca no território sírio de Azaz e sua rejeição deste passo terá consequências graves", disse.

O especialista também chamou atenção à hipocrisia do lado turco, que considera tropas curdas de YPG como terroristas no território ao ocidente de Efrat e considera as mesmas milícias de YPS ao ocidente desta cidade de uma oposição moderada.

"Curdos sírios têm agido muito astutamente por trabalhar estreitamente com todos os jogadores influentes em relação à Síria — com a Rússia, os Estados Unidos e pelas autoridades sírias. Essa tática lhes permitiu reforçar a sua posição política e militar na região", sublinhou o especialista.

Soldado turco próximo à explosão em Ancara, capital da Turquia, em 17 de fevereiro, 2016 - Sputnik Brasil
Quais são os alvos da Turquia quando o assunto é terrorismo?
Ele também fez lembrar que os planos principais ambiciosos da Turquia sobre a possibilidade de criar uma zona da influência de Latakia a Efrat ocidental com a mediação de grupos armados leais às autoridades turcas foram destruídos pela operação das Forças Aeroespaciais da Rússia na Síria.

O cientista político notou também que as ações russas na Síria não tiveram como um objetivo minar ou interferir com os interesses da Turquia, mas mesmo assim Ancara não reagiu adequadamente aos apelos do presidente da Rússia de cooperar na questão da resolução da crise síria.

"E, como resultado desta omissão, a Turquia agora sente que tinha perdido a influência na região", concluiu.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала