Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Opinião: ações dos EUA fazem aliados tomar passos radicais

© flickr.com / Michael BairdPentágono, sede do Departamento da Defesa norte-americano
Pentágono, sede do Departamento da Defesa norte-americano - Sputnik Brasil
Nos siga no
Enquanto a estratégia da Rússia no Oriente Médio é avaliada por especialistas como muito lógica, a política externa de Washington provoca medo mesmo entre os seus aliados, escrevem analistas americanos.

A respectiva opinião em relação às ações russas é expressa inclusive por aqueles que geralmente não apoiam a Rússia, informou o artigo no jornal americano Wall Street Journal.

Livro abandonado no pátio de uma escola em Tel Rifaat, nos arredores de Aleppo, Síria (foto de arquivo) - Sputnik Brasil
Retórica americana sobre ‘tropas no terreno’ camufla questões importantes no Oriente Médio
Os autores, o especialista da Universidade de Brooklyn Kenneth Pollack e a professora da Escola da Política e Estratégia Global na Universidade de Califórnia Barbara Walter, analisaram a política externa de Barack Obama no Oriente Médio, concluindo que esta se tornou pouco eficaz.

Segundo eles, a estratégia atual de Washington não só não dá bem, mas também faz recuar os aliados dos Estados Unidos, por exemplo, a Arábia Saudita.

É esta política, que faz os EUA tomar passos radicais, por exemplo, lembram especialistas, a execução do proeminente clérigo xiita Nimr al-Nimr e de outras 46 pessoas, pelas autoridades sauditas e a decisão de participar na guerra civil no Iêmen contra houthis (grupo militar xiita).

Rebeldes Houthis armados no Iêmen - Sputnik Brasil
'EUA assassinam o povo iemenita': Houthis convocam protestos em massa
Pollack e Walter sublinham que o erro principal é a atenção demasiada que Washington presta ao grupo terrorista Daesh [proibida na Rússia]. Os especialistas compararam a situação com a história de 1941 e sugeriram que seria o mesmo se foi declarada a guerra aos grupos SS, e não a Hitler ou partido nazista.

O artigo compara a estratégia americana no Oriente Médio com a russa. Os autores opinam que a Rússia "tomou a parte xiita do conflito na Síria" por via de apoiar o regime sírio e o Irã (o presidente sírio, Bashar Assad, é da família de alauites, a minoria síria que pode ser vista como uma das asas do xiismo).

Os especialistas americanos notam também que os sunitas no Oriente Médio compreendem a posição russa, especialmente em comparação com a "estratégia terrível" dos Estados Unidos.

Mapa do Oriente Médio - Sputnik Brasil
‘Rússia aproveitou iniciativa dos EUA na Síria’
O artigo nota que os problemas atuais da região chegam da falha do sistema estatal no período pós-guerra. É por isso que na região começaram a desfazer-se Estados, aparecer territórios que tem nenhuma autoridade e começaram guerras civis.

E são estas guerras na região que os EUA devem acabar, segundo os autores, especialmente tendo em conta o fato que o grupo terrorista Daesh apareceu como resultado de uma destas guerras – no Iraque.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала