Rússia e Finlândia seguirão com a construção de novo gasoduto na Europa

© Sputnik / Alexey Kudenko / Abrir o banco de imagensConstrução de gasoduto.
Construção de gasoduto. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia e a Finlândia pretendem dar continuidade à sua cooperação na construção do gasoduto Nord Stream 2, tido por ambos os lados como um projeto puramente comercial, declarou nesta sexta-feira (29) o primeiro-ministro russo Dmitry Medvedev.

"Com relação ao Nord Stream 2 [Corrente do Norte 2], é um outro projeto grande que também foi discutido. Trata-se certamente de um projeto comercial, apesar das tentativas de reinterpretá-lo. É um projeto normal de negócios, que foi concebido exatamente dessa forma, tanto pelo lado russo, por empresas russas, principalmente pela Gazprom, quanto por empresas parceiras europeias. Nós queremos enquadrá-lo exatamente nesse perfil. Pelo o que eu entendi sobre a posição do meu colega, a Finlândia também enxerga esse projeto como puramente comercial" – disse Medvedev ao fim do encontro com o premiê finlandês.

Construção do gasoduto Nord Stream - Sputnik Brasil
Moscou: Aumento de demanda de gás na Europa sublinha importância de novo gasoduto
Nas suas palavras, os lados planejam continuar sua cooperação nesse sentido. "Levando em conta a nossa experiência de trabalho no projeto Corrente do Norte 1, nós pretendemos seguir com a cooperação, baseando-nos nessa abordagem" – declarou Medvedev.

O projeto de gasoduto conjunto da Rússia e de várias empresas europeias Corrente do Norte 2 deverá levar o gás russo, através do mar Báltico, até à costa alemã. O gigante energético russo Gazprom planeja realizar o projeto até finais de 2019.

Reunião entre o presidente ucraniano, Pyotr Poroshenko, e o vice-presidente dos EUA, Joe Biden em Davos (Suíça) - Sputnik Brasil
Poroshenko e Biden querem minar projeto russo Nord Stream 2
O projeto prevê a utilização do gasoduto original Nord Stream (Corrente do Norte) em 86% da rota até se ramificar, podendo garantir o fornecimento anual de 55 bilhões de metros cúbicos de gás.

Não obstante a oposição de vários Estados da União Europeia, alguns outros, inclusive a Polônia, Letônia, República Tcheca e Alemanha, apoiam a construção do gasoduto por considerarem que este poderá trazer mais benefícios para membros da UE e a garantir segurança energética para o bloco dos 28 países.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала