O futuro está aqui: Mercadorias chinesas usam drones

© AFP 2022 / JOHANNES EISELEUm drone Mikado
Um drone Mikado - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A empresa comercial online JD.com oferece, a partir desta semana, testes de entregas usando veículos aéreos não tripulados, também chamados de drones.

Moeda do Estado Islâmico. - Sputnik Brasil
Terrorismo de luxo: Daesh lança loja on-line
Segundo a agência noticiosa oficial chinesa Xinhua, a empresa planeja deste modo facilitar o fornecimento das suas mercadorias às regiões rurais da China.

O presidente executivo da JD.com, Liu Qiangdong, em finais do ano passado pela primeira vez informou que a empresa estava trabalhando na direção de introdução de tecnologias modernas para abordar o problema de entrega àqueles locais que têm a infraestrutura pouco desenvolvida e terreno complexo a atingir por mensageiros habituais.

A empresa também divulgou que o serviço de drones não entrega os pacotes diretamente aos destinatários, mas ajuda a transportar pacotes de itens a locais de distribuição a 150 mil representantes da empresa que serão mobilizados através da China rural, e aqueles transportarão os itens aos destinatários.

​A distância entre estes locais de distribuição e os representantes, segundo os dados da JD, é menor de 10 quilômetros. Além disso, os representantes serão avisados com antecedência sobre a chegada dos drones.

Ambos JD.com e a sua rede comercial concorrente Alibaba já por um tempo trabalham na resolução da questão de transporte de itens para satisfazer a demanda criada por 618 milhões de residentes das áreas rurais chinesas, que apesar da redução do crescimento econômico, continua apresentando possibilidades para aumento do lucro.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала