Rússia, Irã e China: um novo paradigma mundial?

© SCO Host Photo Agency / Abrir o banco de imagensChanceler russo Sergei Lavrov, o chanceler chinês Wang Yi e o chanceler iraniano Mohammad Javad Zarif durante a reunião trilateral da Conferência de Alto Nível de Segurança e Estabilidade na região de Organização de Cooperação para Segurança de Xangai
Chanceler russo Sergei Lavrov, o chanceler chinês Wang Yi e o chanceler iraniano Mohammad Javad Zarif durante a reunião trilateral da Conferência de Alto Nível de Segurança e Estabilidade na região de Organização de Cooperação para Segurança de Xangai - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A cooperação entre a Rússia, o Irã e a China sinaliza que um novo paradigma está se formando que pode alterar a situação global de forma política e estratégica.

Os desenvolvimentos mais recentes nas relações entre a Rússia, o Irã e a China depois da revogação das sanções contra o Irã podem ser mais importantes do que pode-se imaginar, a jornalista norte-americana Carol Gould disse em uma entrevista ao canal noticioso iraniano Press TV.

Iranian President Hassan Rouhani shakes hands with Chinese President Xi Jinping (R) during a welcoming ceremony on January 23, 2016 in the capital Tehran. - Sputnik Brasil
Presidente da China espera iniciar ‘novo capítulo’ com o Irã
A jornalista fala sobre a visita recente de dois dias do presidente chinês Xi Jinping a Teerã e os resultados da viagem.

Xi Jinping se tornou o primeiro líder mundial que se dirigiu para o Irã depois de restrições comerciais terem sido removidas. A visita resultou em assinatura de 17 acordos de cooperação em tais áreas como energética, comércio e indústria.

Os dois países também concordaram aumentar comércio bilateral até 600 bilhões de dólares na década seguinte.

Além disso, o presidente chinês assinou uma declaração conjunta com o presidente iraniano, Hassan Rouhani, para apoiar a aplicação para ser um membro com plenos direitos na Organização para Cooperação de Xangai (SCO) que saudam a Rússia bem como a China.

Teerã aplicou para se tornar um membro da organização ainda em 2008 mas por causa de sanções não conseguiu entrar na SCO. Agora, quando as sanções estão no passado, o governo iraniano declarou que a adesão à SCO é uma das prioridades do Irã.

Presidente do Irã, Hassan Rouhani - Sputnik Brasil
Presidente do Irã inicia primeira viagem europeia após levantamento das sanções
A Rússia também desenvolve laços com o Irã depois que foi atingido o acordo nuclear. Os dois países assinaram um acordo que facilita viagens e será em vigor desde fevereiro.

Em dezembro, o ministro russo de Comércio e Indústria, Denis Manturov, disse durante a sua visita a Teerã que “A Rússia está interessada em diálogo com o Irã sobre o potencial de cooperação na área de aviação, construção de navios, energia, agricultura e transportes, metalurgia, farmácia e outras”.

Carol Gould notou que tais relações se baseiam em comércio e não no poderio militar e definitivamente sinalizam sobre a formação de uma nova aliança.

Esta aliança pode ser benéfica para a China, afirmou a jornalista.

“A China precisa de ajuda no momento atual, a sua economia cresce de forma rápida. Os mercados da Europa, EUA e Reino Unido não produzem muito lucro para a China porque aqueles países tem muitos problemas”, notou acrescentando que na crise semelhante a que se iniciou em 2008 tal cooperação foi muito benéfica.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала