Apesar dos protestos, Filipinas mantêm acordo com os EUA

© AFP 2022Tripulação de um navio chinês prepara-se a desembarcar no arquipélago Spratly, em 2013
Tripulação de um navio chinês prepara-se a desembarcar no arquipélago Spratly, em 2013 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Nesta terça-feira (12), o Supremo Tribunal das Filipinas rejeitou uma petição contra o acordo de segurança com os Estados Unidos.

Trata-se do EDCA, sigla inglesa do Acordo Ampliado de Cooperação na Área da Defesa. A votação teve lugar por causa de uma petição de ativistas e legisladores filipinos que queriam reconhecer o acordo como inconstitucional. 

Durante a madrugada, parlamentares e funcionários públicos esperavam com ansiedade a decisão, que veio finalmente, aprovada por 10 votos a favor e 4 contra.

O EDCA, assinado em abril de 2014, prevê o aumento, durante um prazo de 10 anos, do contingente militar estadunidense nas Filipinas, "com base nos princípios de presença temporária e rotativa". A implantação de aviões de combate e navios da Força Naval estadunidense também fica permitida.

Os autores da petição descartada hoje pelo Supremo Tribunal temem também o aumento da tensão na região por causa da vontade de Washington de conter a China no arquipélago de Spratly.

A agência de notícias Reuters informa que dezenas de ativistas estão protestando na entrada do prédio do tribunal afirmando que a deliberação é "inaceitável", já que favorece a transformação do país em uma "plataforma de lançamento de uma intervenção militar na região".

Segundo os manifestantes, o acordo só irá piorar as relações com a China.

© AFP 2022 / NOEL CELISManifestantes protestam contra acordo militar com EUA nas Filipinas, em 12 de janeiro
Manifestantes protestam contra acordo militar com EUA nas Filipinas, em 12 de janeiro - Sputnik Brasil
Manifestantes protestam contra acordo militar com EUA nas Filipinas, em 12 de janeiro

A agência cita também militares filipinos que dizem ter notado uma intensificação dos exercícios militares estadunidenses, inclusive navais e aéreos.

Navio de guerra filipino Sierra Madre que funciona como posto avançado do país para sua reivindicação a banco de areia no Mar do Sul da China reclamado por outras nações. - Sputnik Brasil
Pequim quer Filipinas fora das ilhas no Mar do Sul da China
O arquipélago Spratly, situado no mar da China Meridional, é reclamado pela China, tal como uma série de outras ilhas em outros mares da região — como o Diaoyu, arquipélago situado no mar da China Oriental.

As ilhas Diaoyu, chamadas ilhas Senkaku pelo Japão, são objeto de disputa entre os dois países. A Sputnik soube hoje que o Japão está pronto para enviar a sua Marinha às ilhas Senkaku. A declaração respectiva foi feita pelo ministro da Defesa do Japão, Gen Nakatani.

A China insiste que as Filipinas e o Vietnã, que também têm litígios territoriais com Pequim, abusam do apoio dos EUA para agravar a situação na região.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала