Tribunal indiano condena tripulação de navio antipirataria dos EUA por porte de armas

Nos siga noTelegram
Membros da tripulação de um navio norte-americano, entre eles 12 indianos, seis britânicos, 14 estonianos e três ucranianos, foram condenados a cinco anos de prisão cada um por posse ilegal de armas e por entrar em águas indianas sem autorização, segundo noticiou a imprensa local.

A decisão foi anunciada nesta segunda-feira (11) por um tribunal indiano.

"O Supremo Tribunal de Madras concedeu fiança para os acusados, mas nós o desafiamos com sucesso e garantimos que eles fossem pegos", disse o procurador público K. Sivakumar, citado pelo jornal The Hindustan Times.

O tribunal também impôs uma multa de 3.000 rúpias (cerca de US$ 45) a cada um dos 35 condenados, segundo a publicação.

Presidente russo, Vladimir Putin, se encontra com o primeiro-ministro indiano, Narendra Modi, Kremlin, Moscou, 23 de dezembro de 2015 - Sputnik Brasil
Putin: Índia deve se tornar membro permanente do Conselho de Segurança da ONU
De acordo com relatos da mídia local, os advogados que representam a tripulação disseram que iriam desafiar a condenação do Supremo Tribunal de Madras.

A embarcação automotora Seaman Guard Ohio – levando a bordo 10 membros da tripulação, 25 agentes de segurança e várias armas, incluindo rifles automáticos – foi interceptada pela guarda costeira da Índia ao largo da costa de Tuticorin, no estado de Tamil Nadu, em outubro de 2013.

​O navio, propriedade da empresa de segurança marítima registada nos EUA AdvanFort International, era usado como plataforma de alojamento para os guardas de combate à pirataria em trânsito entre os navios comerciais que transitam nas zonas de alto risco do oceano Índico.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала