Funcionários dos EUA ‘mancham imagem da Rússia’ para manterem seus cargos

© Sputnik / Sergey Guneev/POOLPresidente da Rússia Vladimir Putin e presidente dos EUA Barack se encontram às margens da 70ª da Assembleia Geral da ONU, em Nova York
Presidente da Rússia Vladimir Putin e presidente dos EUA Barack se encontram às margens da 70ª da Assembleia Geral da ONU, em Nova York - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
Muitos altos funcionários norte-americanas se recusam obstinadamente a entender os benefícios da cooperação russo-americana, de acordo com o ex-agente da CIA Philip Giraldi.

Muitos especialistas e funcionários norte-americanos criam e usam uma imagem hostil da Rússia a fim de manter os seus cargos, escreve o ex-agente da CIA Philip Giraldi, agora diretor executivo do Conselho para o Interesse Nacional, no seu artigo publicado pelo jornal American Convervative.

Bill Clinton, presidente dos EUA na altura, e Vladimir Putin, então primeiro-ministro da Rússia, durante a visita oficial de Putin à Noruega em 1999 - Sputnik Brasil
Ex-presidente dos EUA elogiou Putin ainda em 2000
Ele disse que, quando estava em Moscou, muitos russos comuns lhe perguntaram porque Washington odeia tanto os russos e porque a imprensa americana não tem nada de bom a dizer sobre eles.

Giraldi reconheceu que "há muitos americanos mais velhos na mídia e no governo, bem como nos grupos de reflexão (think tanks) que sempre consideram a Rússia como país inimigo."

"E depois há os tipos mais astutos que precisam sempre da ameaça de um inimigo para manter os seus empregos bem remunerados no próprio governo e também nos centros analistas, os quais contam com o bem-estar do complexo da indústria militar e do Congresso", disse ele.

O ex-agente também se perguntou porque a Casa Branca e os mídia dos EUA não conseguem perceber o fato de que "um bom relacionamento com a Rússia é indispensável».

Giraldi vê a Rússia como um bom parceiro na Síria e uma força motriz para manter as conversações atuais sobre como resolver o impasse sírio. Além disso, a Rússia "tem sido consistentemente um aliado confiável contra o terrorismo».

«Ninguém tem de amar a Mãe Rússia ou Vladimir Putin para apreciar o que é do interesse dos EUA para desenvolver uma relação de cooperação baseada em interesses comuns", frisou Giraldi.

Ministro das Relações Exteriores russo Sergei Lavrov - Sputnik Brasil
Lavrov: coalizão internacional liderada pelos EUA é arrogante
Ele lembrou que o presidente Putin apelou mais de uma vez para o diálogo, pedindo apenas que Washington mostrasse algum respeito por Moscou, um apelo razoável.

Neste ano, disse Giraldi, Putin confirmou a disponibilidade do seu país para cooperar com os Estados Unidos.

"É uma proposta que não deve e não pode ser recusada por quem se preocupa realmente com os Estados Unidos da América e o povo americano", concluiu Giraldi.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала