Vice-premier: ataques precisos da Rússia na Síria evitaram 'russofobia'

© Sputnik / Alexey MalgavkoGrupo da acrobacia aérea Sokoly Rossii durante a cerimônia de abertura da exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo
Grupo da acrobacia aérea Sokoly Rossii durante a cerimônia de abertura da exposição internacional de equipamento militar Russia Arms Expo - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A Rússia conseguiu escapar de um “grito russofóbico” ao evitar vítimas na operação da Força Aérea na Síria através do uso de armas de alta precisão exclusivas. A afirmação é do vice-primeiro-ministro da Rússia, Dmitry Rogozin.

Em 30 de setembro a Rússia iniciou uma operação contra posições do grupo Daesh (Estado Islâmico) e outras organizações terroristas na Síria, a pedido do presidente sírio Bashar Assad. 

“Se nós realizássemos ataques de forma descuidada, isto implicaria em um grande número de vítimas humanas. Imaginem o tamanho do ‘grito russofóbico’ que existiria contra nós. Mas não existe não disso. Por que? Porque nós acertamos em uma “moedinha”. Porque nossos pilotos, bombardeiros, engenheiros e construtores, estudam cada momento do uso de armas na Síria”, disse Rogozin.    

Jazida de petróleo de Rmeilane, na província de Hasakeh, na Síria - Sputnik Brasil
Aviação russa elimina 6 infraestruturas petrolíferas dos terroristas nos últimos 2 dias
Ele acrescentou que o sucesso das operações russas na Síria, pelo qual lutam as Forças Armadas e funcionários do complexo técnico-militar, não é possível sem “a alta precisão da derrota do inimigo”. 

O representante oficial do Ministério da Defesa russo, Igor Konashenkovm, informou nesta quarta-feira (30, os aviões militares russos realizaram no total 121 missões alvejando 424 instalações dos terroristas na Síria no últimos dois dias, 

"Nos últimos dois dias desde 28 de dezembro os aviões da Força Aeroespacial da Rússia na República Árabe da Síria realizaram 121 missões contra 424 objetos em províncias de Aleppo, Idlib, Lataquia, Hama, Homs, Damasco, Daraa, Raqqa e Deir ez-Zor", afirmou Konashenkov.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала