Chancelaria: fracasso dos EUA em isolar a Rússia torna-se óbvio em 2015

© Sputnik / Sergey GuneevFotos da semana
Fotos da semana - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O fracasso dos Estados Unidos de alcançar o “isolamento” da Rússia tornou-se óbvio em 2015, disse o Ministério das Relações Exteriores da Rússia em comunicado nesta terça-feira (29).

“O fracasso das tentativas dos EUA de alcançar o ‘isolamento’ do nosso país tornou-se óbvio este ano. O intensivo diálogo bilateral nos níveis mais altos mostra isso eloquentemente”, diz-se no comunicado dedicado aos maiores acontecimentos políticos de 2015. 

U.S. Secretary of State John Kerry poses with Russian Foreign Minister Sergey Lavrov at the United Nations headquarters in Manhattan, New York September 30, 2015. - Sputnik Brasil
Lavrov e Kerry discutem resolução do conflito sírio
Segundo a chancelaria russa, Moscou e Washington continuaram o trabalho conjunto sobre a resolução dos problemas de segurança e estabilidade internacionais, inclusive as situações na Ucrânia e na Síria.

O comunicado sublinha que os dois países deram uma importante contribuição conjunta para o alcance do acordo geral sobre o programa nuclear iraniano.    

Após a reunificação da península da Crimeia com a Rússia em 2014, e escalação da crise ucraniana naquele ano resultou em hostilidades na região de Donbass, tendo as relações entre a Rússia e o Ocidente começado a deteriorar-se. 

Bandeiras da Rússia e da União Europeia - Sputnik Brasil
Lavrov: Europa reconhece que confrontação com Rússia por causa da Ucrânia foi um erro
A União Europeia, junto com os Estados Unidos, condenaram a adesão da Crimeia à Rússia chamando-a de anexação, recusando-se a reconhecer o resultado do referendo no qual 96 por cento da população local da península votaram em favor da reunificação com a Rússia. Além disso, o Ocidente acusou a Rússia de fomentar o conflito das autoridades de Kiev com as milícias independentistas no leste da Ucrânia.

Como medida punitiva, o Ocidente impôs uma série de rodadas de sanções contra Moscou a partir de julho de 2014.

Na semana passada, a União Europeia estendeu as sanções econômicas contra a Rússia por mais seis meses, alegando a falha de implementação completa dos Acordos de Minsk, que visam regularizar a crise ucraniana.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала