À beira de uma nova era: como será o século XXI?

© AFP 2022 / WANG ZHAOA praça da Paz Celestial (Tiananmen), em Pequim, é a principal praça da China e a terceira maior praça no mundo.
A praça da Paz Celestial (Tiananmen), em Pequim, é a principal praça da China e a terceira maior praça no mundo. - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
No século XXI haverá um grande conflito no Oriente Médio e veremos o declínio do Ocidente, de acordo com o autor francês e especialista em islamismo Alexandre del Valle.

Os países ocidentais têm vindo a perder o seu estatuto na arena internacional, disse o comentador político francês e professor de Alexandre del Valle ao site de notícias francês Atlantico.

"Estamos prestes a mergulhar em um século caracterizado pelo declínio progressivo e contínuo do Ocidente, o que não significa declínio total ou desaparecimento, mas uma perda de hegemonia e influência intelectual e ideológica", disse del Valle ao Atlantico.

Barack Obama, presidente dos Estados Unidos, e Xi Jinping, presidente da China - Sputnik Brasil
China pode derrubar EUA do posto de única superpotência
Segundo ele, no novo paradigma global de outras civilizações, os valores ocidentais terão uma importância cada vez menor. 

Outro ponto importante para Alexander del Valle é a entrada na época de um mundo multipolar. Isto é evidenciado pelo fortalecimento estratégico da Rússia e China, a ascensão da Índia e o retorno do Irã, Turquia e Egito à vanguarda.

Esses desenvolvimentos sugerem que a globalização não está indo tão bem, e que o mundo formado após a Guerra Fria será caracterizado pela formação de polos ideológicos e geopolíticos, buscando livrar-se da dominação do Ocidente, sobretudo o polo formado pela posição da Rússia.

"Esta Rússia [nova] se recusa a deixar os americanos desestabilizarem os regimes amigos e atacar seus interesses diretos em nome dos chamados direitos humanos, também violados por amigos do Ocidente, como as monarquias islâmicas do Golfo [Pérsico] e de comércio de escravos», frisou ele, fazendo referência às práticas abusivas em relação aos imigrantes econômicos das monarquias do Golfo. 

Vai levar muito tempo para restaurar Aleppo, Síria - Sputnik Brasil
Finalmente o mundo está pronto para ouvir a Rússia
Quando se trata de futuros desafios para a humanidade, del Valle se foca na dependência energética:

"Os países do Golfo, em algum momento, vão se tornar um dos centros e o principal patrocinador global do islamismo radical. Portanto, há certamente uma ligação evidente entre a geopolítica da luta contra o islamismo e o trânsito de recursos energéticos», disse del Valle.

Alexandre del Valle é um autor francês com posições geralmente de extrema-direita, que tem criticado os adversários políticos dos Estados Unidos, Israel e o neoliberalismo. No entanto, ele acredita que a Rússia deveria ser incluída em uma aliança estratégica entre os EUA e a Europa Ocidental em vez de ter laços com países críticos dos Estados Unidos.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала