Chancelaria russa: relatórios sobre mortes dos civis na Síria são uma grossa falsificação

© Sputnik / Grigory Sysoyev / Abrir o banco de imagensRepresentante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, durante a entrevista coletiva, 24 de dezembro de 2015
Representante oficial da chancelaria russa, Maria Zakharova, durante a entrevista coletiva, 24 de dezembro de 2015 - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
A representante oficial do Ministério das Relações Exteriores russo, Maria Zakharova, realiza a entrevista coletiva semanal.

Sobre a situação na Ucrânia

Falando sobre a situação no Donbass, Maria Zakharova disse que o cessar-fogo na linha de contacto no Leste da Ucrânia está se tornando mais frágil devido à provocação por parte da parte ucraniana.

"Infelizmente, nós vemos que o cessar-fogo está se tornando mais frágil por causa do aumento das provocações", disse Zakharova durante a sua coletiva semanal.

No entanto, Moscou espera que o cessar-fogo no Donbass vai durar mais tempo do que os feriados de Ano Novo, afirmou Zakharova.

Oriente Médio e África

A Rússia apoia a resolução da ONU sobre a Líbia.

"Nós dissemos repetidamente que poderiamos resolver o problema da Líbia, permitindo o povo líbio decidir o seu futuro", acrescentou Zakharova.

O Daesh quer se instalar na Líbia. Devemos evitar este cenário, o porta-voz observou.

Falando sobre a crise iemenita, Zakharova, disse que Moscou saúda o fato de partes do conflito terem chegado a acordo durante as negociações em 18 de dezembro.

Bombardeiro russo Su-34 decola da base aérea russa de Hmeymim na Síria - Sputnik Brasil
'Se Rússia tivesse bombardeado civis na Síria, já todo o mundo saberia disso'
Sobre a Síria

Falando sobre o relatório da Amnistia Internacional sobre mortes entre civis, Zakharova disse que Moscou tem repetidamente negado as alegações. A Anistia Internacional não forneceu qualquer prova.

Enquanto isso, as ações dos EUA no Oriente Médio levaram à maior crise de refugiados na Europa, observou Zakharova.

"Devemos evitar a invasão dos terroristas para a Europa sob o pretexto de serem refugiados", disse Maria Zakharova.

Um soldado da YPG perto de el-Hasakeh, não longe da fronteira entre Síria e Iraque, em novembro - Sputnik Brasil
'Turquia ficou com as cartas todas baralhadas'
Contrabando de petróleo na Turquia

A informação russa sobre o contrabando de petróleo do Daesh na Turquia foi confirmada por outras fontes, disse Zakharova. Por exemplo o jornal dinamarquês Klassenkampen publicou relatório sobre participação turca em contrabando de petróleo feito pela empresa de consultoria Rystad Energia.

"Como vocês sabem, e nós já dissemos isso constantemente, a Rússia está implementando medidas a fim de parar e fechar os caminhos de fornecimento de petróleo por terroristas. Esperamos para a cooperação real ativa com outros países nestas metas", disse Zakharova durante a entrevista coletiva semanal.

O presidente turco Erdogan tinha dito anteriormente que ele iria demitir-se se o contrabando de petróleo Daesh seria confirmado, fez lembrar Maria Zakharova.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала