Maria vai com as outras: Montenegro introduz sanções contra Crimeia e Sevastopol

© Sputnik / Andrey Iglov / Abrir o banco de imagensMapa político mostrando Crimeia como parte da Federação da Rússia
Mapa político mostrando Crimeia como parte da Federação da Rússia - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O governo montenegrino proibiu as exportações e importações com participação de representantes da península russa e limitou os direitos dos seus cidadãos no setor de compra de bens imóveis na Crimeia.

Segundo informou a agência russa RIA Novosti, Montenegro permite importações de produtos originários da Crimeia, mas só por via da alfândega ucraniana e com a plena certificação.

A decisão de introduzir medidas restritivas contra Crimeia e Sevastopol foi comentada pela Duma de Estado russa (câmara baixa do Parlamento). O presidente do Comitê de Relações Exteriores da Duma de Estado Aleksei Pushkov comentou, escrevendo na sua página de Twitter:

"Montenegro apoiou as sanções em relação a Crimeia e Sevastopol. Fantástico! Existem acontecimentos internacionais que não têm nenhuma importância. Esta é uma destes".

​Em 2 de dezembro, a OTAN convidou Montenegro a começar negociações sobre a adesão ao bloco militar. Mas, segundo pesquisas de opinião pública e informação obtida nas ruas por jornalistas, a maioria dos cidadãos não apoia a decisão de aderir à Aliança Atlântica.

© Foto / Facebook/Marko MilacicBandeira da OTAN içada em Montenegro foi queimada
Bandeira da OTAN içada em Montenegro foi queimada - Sputnik Brasil
Bandeira da OTAN içada em Montenegro foi queimada
Montenegro é governado desde 1991 pelo premiê Milo Djukanovic, que já foi várias vezes acusado de contrabando de cigarros e órgãos humanos. Mesmo assim, ele desfruta de grande apoio do Ocidente, o qual parece prestar pouca atenção ao passado de Djukanovic bem como à estabilidade dos Bálcãs.

As relações entre a Rússia e o Ocidente se agravaram devido à crise ucraniana, especialmente após a adesão da Crimeia à Rússia.

Mas na realidade a região da Crimeia foi reintegrada à Federação Russa após a realização de um referendo em março de 2014 em que mais de 96% dos votantes foram a favor da associação com a Rússia. 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала