Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

Assad 'agradece' ao Ocidente por o 'deixar' liderar o seu país

© AP Photo / SANA, FilePresidente da Síria, Bashar Assad dá entrevista à BBC em Damasco
Presidente da Síria, Bashar Assad dá entrevista à BBC em Damasco - Sputnik Brasil
Nos siga no
O presidente sírio, Bashar Assad respondeu em tom irónico às recentes declarações de alguns líderes ocidentais de que ele "foi autorizado" a permanecer no poder na Síria, lhes agradecendo a oportunidade de liderar o seu próprio país.

Presidente da Síria Bashar Assad - Sputnik Brasil
Assad: dentro de um ano, Daesh pode ser derrubado
Em particular, Assad se referiu às palavras do secretário de Estado norte-americano, John Kerry que lhe deu "autorização" ser o presidente sírio "por enquanto".

"Eu gostaria de os agradecer, porque eu já estava fazendo as minhas malas. Era para eu sair, mas agora eu posso ficar", disse Assad sarcasticamente ao canal de televisão holandesa NOS em uma entrevista.

De acordo com o presidente, são os cidadãos que decidem quem deve liderar um país. As potências estrangeiras não devem intervir nisso.

O povo da Holanda, por exemplo, não aceitaria uma pessoa escolhida pelos sírios para ser o seu primeiro-ministro. Então por que deverá ser diferente no caso da Síria? perguntou Assad.

"A Síria é um país soberano. São os sírios, e não os europeus, quem deve decidir se têm um mau presidente ou um bom presidente," explicou Assad, acrescentando que, se a maioria dos sírios quer que ele se demita, ele vai certamente obedecer à vontade do seu povo.

Falando sobre a expansão do terrorismo no Oriente Médio, Bashar Assad disse que foi a Europa juntamente com a Turquia, o Qatar e a Arábia Saudita, que transformaram a Síria em um viveiro do terrorismo e do extremismo islâmico.

Migrantes e refugiados - Sputnik Brasil
Lavrov: Rússia está disposta a ajudar Europa na questão da crise migratória
A Europa segue uma abordagem errada ao combate ao terrorismo. Assad opina que, antes de tudo, os governos europeus falharam na integração dos imigrantes, os colocando em guetos com poucas oportunidades econômicas. Quando os imigrantes vivem em tais condições, sem uma chance de ter um futuro, se tornam mais suscetíveis a ideologias radicais, disse o presidente sírio.

O segundo erro foi que os líderes europeus "trocaram os valores europeus por petrodólares", permitindo às organizações jihadistas se infiltrarem na Europa, disse Assad.

É por isso que atualmente é a Europa que exporta terroristas, e não ao contrário — os terroristas vêm da Europa para a Síria e, quando voltam para casa, realizam ataques terroristas. Todos os três terroristas responsáveis pelos ataques de Paris em novembro eram europeus, não sírios, frisou Assad na TV holandesa.

A Síria mergulhou em guerra civil em 2011, com o exército leal a Assad combatendo várias fações da oposição e grupos militantes.

O Ocidente e vários países do Oriente Médio não consideram Assad a autoridade legítima da Síria. Em 2011, Washington impôs sanções contra ele na esperança de que ele fosse renunciar.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала