Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para

China reage à venda de armas dos EUA para Taiwan e vai impor sanções a empresas envolvidas

© AP Photo / Andy WongBandeiras da China e dos EUA
Bandeiras da China e dos EUA - Sputnik Brasil
Nos siga no
O vice-ministro das Relações Exteriores chinês, Zheng Zeguang, afirmou nesta quinta-feira (17) que Pequim fez uma representação oficial aos EUA contra a venda de armas norte-americanas para Taiwan. A China disse se opor firmemente ao negócio uma vez que é contrário ao direito internacional e prejudica gravemente a soberania e a segurança chinesas.

Pequim defende que Taiwan é “parte inalienável de seu território” e que ninguém pode abalar a vontade do governo e do povo chinês de defender os seus direitos e de se opor à interferência estrangeira.

“Para salvaguardar os nossos interesses nacionais, a China decidiu tomar as medidas necessárias, incluindo a imposição de sanções contra as empresas envolvidas na venda de armas”, afirmou o vice-chanceler chinês.

Taipei, Taiwan - Sputnik Brasil
China e Taiwan realizam troca histórica de espiões
A China também exortou os EUA, após chamar a encarregada de Negócios Estrangeiros da embaixada norte-americana em Pequim, Kaye Lee, quando fez a representação oficial, a desistir da venda de armas a Taiwan e a parar os contatos militares com a ilha considerada rebelde pelo governo chinês.

Na quarta-feira (16), o Departamento de Estado norte-americano enviou ao Congresso do país um acordo de US$ 1,8 bilhão de venda de armamentos para Taiwan. Entre os itens listados no contrato, estão fragatas, mísseis e veículos anfíbios.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала