Wikileaks: Erdogan é que planejou o abate do Su-24 russo

© AFP 2022 / THOMAS COEXWikiLeaks
WikiLeaks - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O presidente turco, Recep Tayyip Erdogan, planejava abater o avião de guerra russo envolvido em campanha contra o Daesh de Moscou na Síria seis semanas antes do incidente do Su-24, comunica o Wikileaks a informação da fonte nas autoridades turcas.

Erdogan está preocupado com o resultado das próximas eleições e está contemplando derrubar um avião russo, postou o usuário anônimo do Twitter, que atende pelo nome de Fuat Avni, em 11 de outubro.

Fuat Avni, que muitas vezes compartilhou informações privilegiadas precisas que expõe Erdogan e o seu governo, é dito ter afirmado que Erdogan foi o único a dar ordem para abater o bombardeiro russo sobre a Síria sob o falso pretexto de que a aeronave violou o espaço aéreo turco.

Vladimir Putin durante Mensagem à Assembleia Federal - Sputnik Brasil
Putin: 'Alá saberá por que razão eles fizeram isso'
De acordo com as informações do WikiLeaks compartilhadas no Twitter, Erdogan vinha tentando mobilizar os seus eleitores antes das eleições gerais, que foram realizadas em 1 de novembro, escalando drasticamente as tensões com a Rússia. O Partido da Justiça e Desenvolvimento (AKP) no poder, que foi fundada por Erdogan, conseguiu recuperar a maioria parlamentar, que perdeu cinco meses antes.

Após a vitória do AKP, o presidente Erdogan, que tem os poderes limitados, tem pressionado por uma nova Constituição, que iria conceder o presidente significativamente mais poderes. No entanto, o AKP ainda precisa de mais 13 votos para ser capaz de realizar um referendo sobre esta questão.

"A eleição de 1 de novembro marcou o início de quatro anos de estabilidade e confiança. Vamos fazer deste período uma época de reformas, priorizando uma nova Constituição", disse Erdogan em 10 de novembro.

O incidente com o avião russo Su-24, abatido pela aviação turca na Síria, provocou uma séria deterioração das relações entre a Rússia e Turquia. O caso foi tachado de "um golpe nas costas" pelo presidente russo Vladimir Putin e levantou sérias denúncias sobre o suposto envolvimento do presidente turco Erdogan no comércio ilegal de petróleo promovido pelo grupo terrorista Daesh (Estado Islâmico) na Síria.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала