Mídia: operação da Alemanha não assegurará paz na Síria

© flickr.com / Andreas NowakSoldados do Bundeswehr (exército da Alemanha)
Soldados do Bundeswehr (exército da Alemanha) - Sputnik Brasil
Nos siga noTelegram
O envolvimento militar de poderes estrangeiros no conflito poderia levar a uma nova onda de violência na Síria após a qual seguirá muitos anos de devastação, informou o jornal alemão DWN.

O Bundestag (parlamento alemão) aprovou a operação militar do Bundeswehr (exército da Alemanha) na Síria na sexta-feira (4). Mais antes nesta semana, o governo federal já decidiu instalar até 1,2 mil soldados no país mergulhado na guerra civil por um ano, informou a mídia alemã.

Ministra da Defesa da ALemanha Ursula von der Leyen chega a Bagdá, 11 de janeiro 2015 - Sputnik Brasil
Ministério da Defesa: exército da Alemanha não colaborará com Assad na Síria
Espera-se que a missão custe 134 milhões de euros, mas é pouco provável que possa trazer bons resultados. A Síria e o Iraque podem regressar ao caos e barbaria seguindo o roteiro do Afeganistão que agora está devastado depois dos anos de intervenções estrangeiras, nota o DWN.

Entre os numerosos problemas na região os países que intervêm devem lidar com as divisões entre os curdos. Por exemplo, o Governo Regional do Curdistão, órgão dirigente da região com a dominância curda no norte do Iraque apoiado pelos EUA, Alemanha e Turquia, se manifesta contra declarações da Rússia sobre o comércio de petróleo entre o Daesh e a Turquia através do território sírio.

“É incrível que a Rússia pense que as forças peshmerga foram envolvidas no comércio de petróleo com o Daesh. Porque é evidente de declarações que fez”, disse o porta-voz do Governo Regional do Curdistão, Safin Dizai.

Caça Tornado da Força Aérea britânica - Sputnik Brasil
Grã-Bretanha manteve ataques contra Daesh (EI) na Síria durante a madrugada
Ao mesmo tempo, o Partido dos Trabalhadores do Curdistão (PKK na sigla turca), a organização de militantes que fica na Turquia e no Curdistão do Iraque, critica a posição do Governo Regional do Curdistão e acusa-o da traição devido à sua cooperação com a Turquia inimiga.

Assim, é difícil superar as divergências entre os curdos que podem agravar mais o conflito no país. A instalação do Bundeswehr na zona de combate não contribuirá para a reconciliação e somente piorará o conflito.

A Alemanha tem a vontade de responder aos recentes atentados em Paris e mostra que o governo alemão não permanecerá a parte. Todavia, a grande maioria dos alemães receia que a operação militar na Síria possa afetar segurança doméstica e elevar o risco de atentados terroristas na sua pátria.

Segundo a sondagem realizada pelo instituo YouGov, 71% dos alemães pensam que a ameaça do terrorismo na Alemanha aumentará em resultado da operação militar do Bundeswehr contra o Daesh. Só 18% dos respondentes não pensam que isso seja possível.

 

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала