Cadastro bem-sucedido!
Por favor, siga o link da mensagem enviada para
 - Sputnik Brasil
Notícias do Brasil
Notícias sobre política, economia e sociedade do Brasil. Entrevistas e análises de especialistas sobre assuntos que importam ao país.

Polícia Militar usa bombas de efeito moral contra estudantes em São Paulo

© Rovena Rosa/ Agência BrasilEstudantes são reprimidos pela PM em protesto contra a reorganização do ensino paulista, na quinta-feira (03/12)
Estudantes são reprimidos pela PM em protesto contra a reorganização do ensino paulista, na quinta-feira (03/12) - Sputnik Brasil
Nos siga no
A Polícia Militar (PM) fez uso de bombas de efeito moral e gás lacrimogêneo numa das manifestações de alunos contra a reorganização escolar em São Paulo, determinada pelo governo estadual.

Segundo informou a Agência Brasil, nesta quinta-feira (3), a Tropa de Choque da PM usou força para desobstruir a Avenida Brigadeiro Faria Lima, no cruzamento com a Avenida Rebouças, em Pinheiros, zona oeste da capital paulista.

A via havia sido ocupada por um grupo de estudantes que protestavam contra o projeto da Secretaria de Educação que prevê o fechamento de 93 escolas no estado e a transferência de 311 mil estudantes.

Mais cedo, o mesmo grupo de alunos da Escola Fernão Dias, em Pinheiros, havia bloqueado a Marginal Pinheiros e ruas da região do Butantã. Quando retornavam para a escola, por volta das 10h, ocorreu o primeiro confronto com os policiais.

O grupo se dispersou e voltou a se reunir nas proximidades da Avenida Brigadeiro Faria Lima. Às 10h30, houve novo confronto e os estudantes correram até as proximidades do Esporte Clube Pinheiros.

A PM vem recebendo fortes críticas e acusações de abuso de autoridade pelo uso excessivo de força contra os estudantes, que além de serem menores de idade levantam a bandeira da educação em sua luta. Além disso, surgiram denúncias de que uma das escolas ocupadas pelos estudantes teria sido invadida e depredada pelos próprios policiais para culpar os ocupantes.

Questionado sobre estes supostos abusos, o secretário de Segurança Pública do Estado de São Paulo, Alexandre de Moraes, rebateu as críticas dizendo que os órgãos de segurança vêm agindo sem excessos e dentro das normas estabelecidas, impedindo que o direito de outras pessoas de se locomoverem seja atrapalhado pela obstrução das vias da cidade.

Feed de notícias
0
Antigas primeiroRecentes primeiro
loader
AO VIVO
Заголовок открываемого материала
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала