Em meio a tensões entre Rússia e Turquia, navio 'antimísseis' dos EUA entra no Mar Negro

Nos siga noTelegram
O destróier de mísseis guiados USS Ross entra no Mar Negro nesta quinta-feira (3), de acordo com um comunicado da Marinha dos EUA. Segundo os oficiais norte-americanos, a embarcação tem como objetivo reforçar a cooperação de Washington com "aliados e parceiros".

"O USS Ross (DDG 71) vai entrar no Mar Negro em 3 de dezembro de 2015 para promover a paz e a estabilidade na região", disse o comunicado de imprensa emitido pela 6ª Frota da Marinha dos EUA.

O destróier de mísseis guiados USS Ross (DDG 71) - Sputnik Brasil
EUA testam sistemas da DAM na Europa, mas contra quem?
Em 20 de outubro, o USS Ross interceptou um míssil balístico como parte de uma série de exercícios para testar a primeira parte do escudo antimísseis dos EUA na Europa – empreendimento bastante criticado pela Rússia, que vê no sistema de defesa uma tentativa de alterar o equilíbrio de forças na região.

O comunicado da Marinha norte-americana declara que a missão do navio no Mar Negro serve para garantir a segurança marítima e a prontidão militar dos EUA diante de "aliados e parceiros".

​A região do Mar Negro concentra países com relações bastante tensas entre si atualmente, em particular a Rússia, a Turquia e a Ucrânia. Recentemente, a derrubada de um caça russo pelas forças turcas na Síria desencadeou uma série de sanções, por parte de Moscou, contra a Turquia, que faz parte da OTAN. O presidente russo, Vladimir Putin, classificou o episódio como uma “punhalada nas costas” dada por cúmplices do terrorismo (o avião abatido estava em missão contra o Daesh, também conhecido como Estado Islâmico). 

A United States Air Force cargo plane maneuvers on the runway after it landed at the Incirlik Air Base, on the outskirts of the city of Adana, southern Turkey, Friday, July 31, 2015 - Sputnik Brasil
OTAN premia Erdogan com novas armas antiaéreas instaladas na Turquia
A Ucrânia, por sua vez, passou por um golpe de Estado apoiado pelos EUA em fevereiro do ano passado. Depois da troca ilegítima de poder, a população da península da Crimeia decidiu, em referendo, se separar do país e se reintegrar à Federação Russa. Desde então, Moscou tem sido tornou alvo de sanções ocidentais, sendo acusada de interferir no conflito interno ucraniano e de ter “invadido” a península no Mar Negro. 

O USS Ross é um destróier de mísseis guiados da classe Arleigh Burke e é armado com o sistema de mísseis de cruzeiro Aegis, que é capaz de transportar até 56 mísseis nucleares Tomahawk. O navio também consegue transportar um helicóptero SH-60 Seahawk, bem como uma tripulação de 337 marinheiros.

Feed de notícias
0
Para participar da discussão
inicie sessão ou cadastre-se
loader
Bate-papos
Заголовок открываемого материала